Jornal do Brasil

Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018 Fundado em 1891

Cultura

Festival Internacional de Cinema Feminino exibe 64 filmes no CCBB-RJ

FEMINA, que começa na próxima quarta-feira, vai exibir produções de 18 países

Jornal do Brasil

Entre os dias 13 e 18 de dezembro, acontecerá a 12ª edição do Festival Internacional de Cinema Feminino – FEMINA no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro. O festival este ano exibirá 64 produções, muitas inéditas no Brasil, de 18 países.  O evento é realizado pelo Instituto de Cultura e Cidadania Femina desde 2004 e se dedica a exibir longas, médias e curtas-metragens dirigidos por mulheres e/ou com temática feminina. Todas as sessões e seminários terão entrada franca (com distribuição de senhas uma hora antes de cada sessão), os organizadores do evento calculam atrair cerca de 1,5 mil pessoas.

'Quem Matou Eloá?' será exibido na próxima sexta-feira (15)
'Quem Matou Eloá?' será exibido na próxima sexta-feira (15)

Todos os anos, o festival realiza uma homenagem a uma personalidade feminina do cinema nacional. Este ano o evento terá três homenageadas: a cineasta Sandra Werneck, a produtora Vania Catani, e atriz Laura Cardoso.

Sandra é uma diretora de destaque no cenário cinematográfico brasileiro com vários sucessos de bilheteria, documentários de cunho social e filmes especialmente debruçados sobre questões relacionadas ao feminino. Nesta última categoria, a diretora lançou este ano “Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas”. O filme “Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas” será exibido no dia 18 às 17h.

Vania Catani trabalhou como produtora de TV e a partir dos anos 1990, tem se dedicado à produção cinematográfica. Criou em 2000 a Bananeira Filmes, uma das mais prestigiadas produtoras de cinema no Brasil, e tem investido, principalmente, em produções independentes de notória qualidade artística. Já produziu séries de TV e filmes de diretores como Pedro Bial, Matheus Nachtergaele, Selton Mello, Anita Rocha da Silveira, José Luiz Villamarim, Guilherme Weber, Lucrecia Martel, entre outros.  Somadas, suas produções já foram exibidas em 250 festivais em 40 países e receberam mais de 180 prêmios. O festival irá exibir o filme “Mate-me por favor”, de Anita Rocha da Silveira, no domingo, dia 17, às 15h.

A outra grande homenageada do festival é a atriz Laura Cardoso que este ano completa 90 anos de vida e 75 de carreira. A atriz que se declara feminista desde criança começou sua carreira nas radionovelas, atuando em seguida em teleteatro, apresentações em circo, novelas, minisséries e séries. É uma das atrizes que mais atuou na TV com quase 80 trabalhos, incluindo mais de 50 novelas. Um de seus trabalhos mais marcantes foi no filme “Através da Janela” de Tata Amaral que lhe rendeu vários prêmios de melhor atriz, entre eles, o Lente de Cristal no Festival de Cinema Brasileiro de Miami. O filme será exibido no festival no dia 18, às 19h.  

Primeiro evento do gênero no Brasil e na América Latina, o FEMINA ocupou um lugar de destaque no cenário cinematográfico mundial já em sua primeira edição. Com a curadoria de Paula Alves e Eduardo Cerveira, o festival busca valorizar a participação da mulher no cinema, na arte e na cultura, estimular jovens diretoras, incentivar a produção de filmes com temática feminina e debater questões de gênero, assim como ampliar a participação profissional da mulher no cinema e a conscientização da sociedade sobre a igualdade de gênero. “Tivemos uma interrupção de dois anos do festival por falta de patrocínio. Este ano recebemos a confirmação da verba com prazo curtíssimo para a realização do festival mas resolvemos encarar”, comenta  o curador Eduardo Cerveira. “Graças a uma força tarefa da equipe, amigos e uma lista interminável de parceiros, conseguimos fazer uma linda seleção com ótimos títulos em tempo recorde. Alguns desses filmes serão exibidos pela primeira vez no Brasil e na América Latina”, comemora Paula Alves.

O evento promove também o Seminário FEMINA, de 13 a 15 de dezembro, das 13h às 16h, com a participação de diretoras e pesquisadores, debatendo com o público o tema Feminismos, Cinema e Interseccionalidade: diálogos e estratégias de resistências, trazendo filmes que dialogam com esta questão. São eles: “Historiografia” de Amanda Pó, “Autopsia” de Mariana Barreiros, “Estado Itinerante” de Ana Carolina Soares, “O mais barulhento silêncio” de Marcela Moreno, “A boneca e o silêncio”de Carol Rodrigues e “Quem matou Eloá?” de Livia Perez.  Os temas abordados no seminário serão: “Curadoria e Crítica como espaços políticos”; “Sobre poder e violência: apagamentos, assédios e a cultura do estupro” e, por último, “Debates em torno das violências contra as mulheres e o feminicídio”. As inscrições poderão ser feitas através do site www.feminafest.com.br, a entrada é gratuita e quem participar dos 3 dias de seminário recebe um certificado de participação.

DESTAQUES DESSA EDIÇÃO:

A abertura do festival será no Cinemaison, no dia 11 às 19h, com uma sessão apenas para convidados, com a exibição do primeiro longa-metragem da diretora francesa Léonor Serraille. O filme “Jeune Femme” ganhou o prêmio Caméra D’Or  em Cannes esse ano e será exibido pela primeira vez no Brasil. 

Entre os dias 13 e 18, o festival acontece no CCBB RJ, com as tradicionais mostras competitivas “Internacional e Nacional” e sessões especiais divididas em “Programa infantil” (com curtas-metragens de animação e ficção para o público infanto-juveni), dois programas “Dividindo a conta” (com filmes co-dirigidos por homens e mulheres), Programa experimental (com filmes experimentais dirigidos por mulheres), sessão “Eu gosto é de mulher” (com filmes dirigidos por mulheres com temática lésbica).

O festival terá a participação de 18 países, além do Brasil, alguns deles como França, Alemanha, Portugal, Israel, Irã, Noruega, Suécia, Romênia, Polônia, Espanha, México, Grécia, Suíça, Chile, República Tcheca, Holanda. Serão exibidos ao todo 64 filmes (29 internacionais, 35 brasileiros das 5 regiões do país).

Com filmes realizados a partir de 2014, a competição das mostras será avaliada durante a semana do evento. Além do júri oficial, a novidade este ano é um juri formado por integrantes do Elviras, coletivo de mulheses críticas de cinema. Entre os jurados estão Angélica de Oliveira – curadora, Gustavo Pizzi – realizador, Samantha Brasil – crítica, Paloma Coelho – pesquisadora, Simone Zuccolotto – jornalista, e as componentes do Juri Elviras: Ivana Bentes, Maria Caú e Laura Batitucci.

Os júris terão a árdua tarefa de avaliar e premiar os filmes nas categorias: Grande Prêmio Femina, Prêmio Especial do Júri, Melhor Direção e Melhor Destaque Feminino em cada competição (Nacional e Internacional). Os premiados ganharão um colar desenhado com exclusividade pela designer de jóias Rita Santos. Para as categorias de competição nacional, os vencedores receberão também prêmios em serviços cinematográficos de empresas parceiras do festival como a Naymar, o CTAv e a Youle para que a diretora possa utilizá-lo na próximo filme. 

Tags: arte, cinema, cultura, femina, feminismo, filmes, luta, mostra, mulheres, política

Compartilhe: