Jornal do Brasil

Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Cultura

Escola de Artes Visuais do Parque Lage promove aulas abertas nas férias

Jornal do Brasil

A Escola de Artes Visuais do Parque Lage, celeiro de grandes artistas contemporâneos (como Beatriz Milhazes, Daniel Senise e Ernesto Neto), promove durante as férias uma série de aulas abertas ao público, com o objetivo de atrair alunos para os cursos regulares, que terão início no dia 6 de março. 

Nesta quinta(16), às 17h, a italiana Zoè Gruni – que já expôs na França, Inglaterra, Bulgária, Alemanha, Estados Unidos e Itália - vai falar sobre o corpo como linguagem, sobre identidades mutantes e experiências contemporâneas na era da comunicação. Logo após, às 19h, o professor Alain Alberganti vai ocupar o salão nobre do casarão para tratar da ‘performance da dança butoh’, que surgiu no Japão pós-guerra e ganhou o mundo na década de 1970. 

“Uma das principais características desta dança é a abolição da intenção. Quando uma forma está instalada, ou um movimento iniciado, o performer segue-o através do seu corpo, de uma articulação à outra, como se ele fosse espectador. Seu corpo age e sua atenção, livre de qualquer vontade, concentra-se por inteiro nos meios da execução e na consciência aguda do que está acontecendo nele. Assim nenhuma intenção ou “querer-fazer” cria resistência aos movimentos. O performer parece fazer movimentos que já foram decididos. Mais do que em qualquer outra dança, no butoh existe uma absorção do mental pelo físico que evoca o transe no qual o performer mantém sempre o controle do que ele está fazendo”, comenta Alain.

Foto do Curso livre de Performance Dança Butoh  na EAV Parque Lage
Foto do Curso livre de Performance Dança Butoh  na EAV Parque Lage

Mais informações sobre o curso regular com a artista Zoè Gruni:

Segunda Pele: híbrido, memória, reciclagem

Professora: Zoè Gruni07 de março a 27 de junhoTerça-feira das 15h às 18hR$ 380,00/mês

 Público-alvo

Estudantes e interessados em aprofundar a pratica da escultura e da performance na arte contemporânea. Não é indispensável ter habilidades ou conhecimentos prévios.

Introdução

O curso visa a produção de um objeto pensado como prótese do corpo, escultura que pode ser vestida e vivida usando materiais de reciclagem. Através do estudo de uma possível interação entre corpo e objeto, o objetivo será transformar este dialogo em ação performática. Por meio de aulas teóricas e práticas, num ambiente de troca e convivência, será proposto aos alunos desenvolverem projetos individuais.

Objetivos

Adquirir noções históricas artísticas para desenvolver uma capacidade critica sobre a disciplina da performance. Adquirir noções técnicas sobre: pesquisa de materiais, projeto e realização de um objeto-escultura, projeto e a realização de uma ação-performance. Desenvolver a própria linguagem e realizar um projeto individual.

Metodologia

O curso é dividido em aulas teóricas e práticas. No conteúdo teórico serão analisadas as obras e as técnicas dos artistas modernos e contemporâneos que utilizam a pratica de vestir a obra no próprio trabalho, com o auxilio de projeções de imagens e vídeos. As aulas práticas serão estruturadas como um laboratório/workshop, no qual os alunos desenvolvem projetos individuais.

Conteúdo

1. Corpo como linguagem: origem e historia da performance.

2. Segunda pele: interação entre corpo e objeto.

3. Identidades mutantes: experiências contemporâneas na era da comunicação.

Tags: comemoração, cultura, diversão, festa, lazer, teatro

Compartilhe: