Jornal do Brasil

Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

Cultura

Protesto no SP Fashion Week pede mais modelos negras nas passarelas

Portal TerraSimone Sartori

 

Com faixas e um megafone, cerca de 25 integrantes da ONG Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes (Educafro) realizaram um protesto na entrada da São Paulo Fashion Week, que começou nesta segunda-feira, no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera. O grupo reivindica a presença de 20% de modelos negras em desfiles do principal evento de moda da América Latina. "Ô Fashion Week, leia os jornais, o povo negro é metade e muito mais", gritavam os manifestantes.

De acordo com o diretor executivo da Educafro, frei Davi dos Santos, a entidade tentou contato com a organização da SPFW há cerca de três meses para discutir a cota que, segundo ele, atualmente é de 10% de modelos negras. No entanto, Santos garantiu que não foram atendidos.

ONG organizou protesto na entrada do evento em São Paulo
ONG organizou protesto na entrada do evento em São Paulo

"Essa é a terceira vez que realizamos esse tipo de manifestação. Na primeira vez, há 4 anos, conseguimos que a cota saísse do zero para 10% o número de modelos negras desfilando, mas aí descobrimos que a SPFW nos enganou ao contratar uma modelo negra que atuava no exterior. Ele fez vários desfiles e cumpriu a cota e, com isso, o Ministério Público não abriu processo contra a diretoria do evento. Nós queremos que a SPFW represente também um País que tem negros e índios", afirmou o diretor.

Frei Davi se esquivou de responder o motivo de o protesto não ter sido feito na última edição, em janeiro, durante a temporada inverno da SPFW, mas afirmou que a ONG fará novos protestos a partir desta segunda-feira. "Queremos voltar no dia do desfile da modelo mais paga", disse ele, sem citar nomes.

O diretor da Educafro garantiu que a entidade vai brigar na Justiça para aumentar o número de modelos negras em desfiles e que, em julho, será realizada uma reunião para avaliar o que ele chamou de "descaso" da SPFW sobre a questão.

A assessoria do evento foi procurada por telefone para falar sobre o assunto, mas as ligações não foram atendidas.

 

Tags: desfile, modelos, negras, protesto, sp fashion week

Compartilhe: