Jornal do Brasil

Cultura

Universo sobre os palcos

Festival de Teatro Universitário abre hoje sua 8ª edição, com 34 apresentações até dia 23

Jornal do Brasil JOÃO PEQUENO, joao.pequeno@jb.com.br

Com 27 esquetes e sete peças de longa duração, o Festu (Festival de Teatro Universitário) abre hoje sua oitava edição, no Teatro Firjan Sesi, no Centro, um dos três espaços que abrigarão suas apresentações, até o próximo dia 23, um domingo, quando ocorre a decisão da Mostra Nacional Competitiva.

A duração e as quantidades de espaços e espetáculos dão ideia do crescimento do Festu, idealizado em 2010 pelo produtor Miguel Colker e o ator e diretor Felipe Cabral, que explica um pouco de sua história. “O Miguel trabalhava perto do curso de Artes Cênicas da PUC, na Gávea, e teve esse ideia, pelo contato com os estudantes. Na primeira vez, eram só três dias, no ginásio da PUC, e só a melhor esquete ganhava prêmio, um valor simbólico”, lembra. Passados oito anos, com 11 apoiadores para a premiação, esta já inclui um patrocínio de R$ 30 mil para o vencedor, que ainda ganha uma participação no Festival de Teatro de Curitiba do próximo ano.

Macaque in the trees
"A palavra Progresso na boca da minha mãe soava terrivelmente falsa" foi montada com dinheiro do prêmio (Foto: Divulgação)

“A premiação contribuiu para o aumento de textos originais, que vêm de grupos de todo o Brasil”, ressalta Cabral, destacando o concorrido processo de seleção, que inclui proposta de encenação, através da página do festival na internet, e apresentação dos pré-selecionados –“os grupos que não são do Rio podem enviar as cenas da esquete gravadas em vídeo.

A Mostra Nacional Competitiva, que reúne as esquetes, recebeu 244 candidatas – contra 152, no ano passado. Delas, 119, de 11 estados e do Distrito federal, passaram para a 2ª fase. Desses, 27 foram selecionados para a final, que ocorre dos dias 20 a 22, no Teatro XP Investimentos, na Gávea – em uma programação cujo ingresso ainda vale a entrada para uma festa, com DJs, depois das apresentações. Das 27, oito passam para a final no dia 23, no Teatro Cesgranrio, no Rio Comprido.

Entre as peças longas, foram 60 concorrentes, com sete selecionadas. Uma delas foi montada pela Multifoco Companhia de Teatro, da Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena, com o dinheiro ganho pelo prêmio de melhor esquete na edição passada. “A palavra Progresso na boca da minha mãe soava terrivelmente falsa” tem textos do autor romeno Matéi Visniec sobre uma família que retorna à antiga casa depois de um período de guerra.

Outra retroalimentação do Festu é de “Anamnese”, de Pablo Pegas, da Unirio, vencedor de melhor texto original e melhor ator em 2017. “Mesmo sem patrocínio, que não é dado a essas categorias, a escolha conseguiu estimular o Pablo, que ampliou o esquete, transformando-o em um espetáculo longo, que apresenta agora”, destaca Felipe Cabral.

Ao todo, o Festu premia 11 categorias: ator, atriz, direção, texto original, trilha sonora original, iluminação, cenografia, figurino, direção de movimento, esquete pelos jurados e esquete pelo juiz popular.

------------

SERVIÇO

MOSTRA DE ESPETÁCULOS LONGOS

TEATRO FIRJAN SESI CENTRO. Av. Graça Aranha, 1 - Castelo. Tel.: 2563-4163. Capacidade: 338 lugares. Dias 12 a 15, às 19h.

TEATRO CESGRANRIO. Rua Santa Alexandrina, 1011 - Rio Comprido; Tel.: 2103-9682. Dias 14 e 15, às 20h; dia 16, às 19h. Capacidade: 266 lugares.

Ingressos: R$ 20 (inteira).

MOSTRA NACIONAL COMPETITIVA (ESQUETES)

TEATRO XP INVESTIMENTOS. Av. Bartolomeu Mitre, 1110-B - Gávea; Tel.: 3807-1110. Dias 20 a 22, às 20h. Ingressos: R$ 30 (inteira), com direito à festa depois das apresentações. Capacidade: 366 lugares.

TEATRO CESGRANRIO (final). Dia 23, às 18h. Ingressos: R$ 20 (inteira).

Programação completa em www.festu.com.br.



Recomendadas para você