Jornal do Brasil

Hildegard Angel

Vão-se as Divas, ficam os colares

Jornal do Brasil

Pouco tempo antes de morrer, com momentos de depressão em que dizia aos amigos que seu tempo se esgotava, Carmen Mayrink - a Primeira e Única - fez-me chegar às mãos em casa, num envelope branco, essa reprodução da revista americana Town & Country, a que decidia quem era quem no jet set dos anos 70, 80, hoje superada pela Vanity Fair. E lá estava brilhando na capa a Carmen, um deslumbramento, com um fabuloso colar, uma parure, também com os brincos. Ela, sempre caprichosa nos cartões com sua letra inconfundível e imagens de gatinhos, desta vez não me mandou uma palavra. Na mesma hora, pensei com amargura: “Carmen deve querer que eu use essa foto em seu obituário”. Telefonei para ela: “Amiga, que foto desbundante! Quando devo publicar?”. E ela: “É pra você ter, você vai saber quando”. Minha suspeita se confirmava... Com o choque da morte de Carmen, no meio daquela tristeza, não encontrei a foto. Agora, por ocasião da exposição “Tribute to feminity”, no Museu do Kremlin, das joias mais representativas de 130 anos da joalheria italiana Bulgari, das coleções de grandes celebridades e clientes, como Liz Taylor, Gina Lollobrigida, Bella Hadid, Ana Magnani, Anita Ekberg e Carmen Mayrink Veiga, recebo um release da mostra com a foto do colar de esmeraldas, rubis, safiras e brilhantes de Carmen. O mesmo que ela usou na capa daquela revista, que enfim encontrei. Aqui está.

Um registro emblemático do ponto alto da borbulhante carreira social de Carmen Mayrink Veiga. Havia sido eleita uma das Mais Bem Vestidas do Mundo, em seguida mereceu a capa consagradora da sua elegância e expressão no grand monde, usando esse Bulgari extravagante e opulento, um dos colares mais espetaculares da alta joalheria de seu tempo.

Foi-se a Carmen, mas teve o cuidado de nos deixar a imagem de como gostaria de ser perpetuada na memória dos seus admiradores.

Macaque in the trees
Lourdes Maria, a filha de Madonna, debutou capotante na passarela da New York Fashion Week, no desfile Primavera 2019 da Gipsy Sports, coberta de conchas e búzios, vestindo saia jeans despedaçada e calçando um par de sneakers (Foto: Reprodução)

Macaque in the trees
As coisas de que Carmen mais gostava: gatos e joias. E que gatos e que joias! (Foto: Reprodução)

Macaque in the trees
Da coleção de Gina Lollobrigida, este colar de brilhantes e esmeraldas, na mostra da Bulgari na Rússia (Foto: Reprodução)

----------

KLABIN NA POLÍTICA

Acostumado às vitórias no polo, esporte em que é o atleta veterano mais antigo em atividade, o que foi chancelado até pelo Guinness Book of Records, Armando Klabin agora aposta também na política, mais precisamente no candidato a deputado estadual Pedro Duarte.

Pedro é do RenovaBR, programa de formação de lideranças para a política apoiado por Luciano Huck. Armando e seus dois filhos, Daniela e Woff, doaram à campanha dele, cada um, R$ 5 mil. Esse dinheiro não há de fazer falta ao empresário, já que sua A. Klabin S. A., maior produtora e exportadora de papéis do país (que produz com replantio das florestas de eucaliptos), faturou 4,894 bilhões de reais em 2014.

VIDA OU MORTE

Apenas este ano já foram eliminados 71 policiais pela bandidagem no Rio de Janeiro! Essa violência absurda levou o deputado estadual André Ceciliano a apresentar ontem um Projeto de Lei, propondo que as armas fiquem sob a tutela dos agentes de segurança, mesmo quando em folga, em férias ou licença remunerada. A lei em vigor determina que as armas usadas no patrulhamento ostensivo retornem às reservas de armamento ao fim de cada serviço. André se inspira em São Paulo, onde todos os policiais recebem fardamento, colete e algemas, ainda na escola de formação, e podem levar para casa nas folgas. Ele só devolve o material quando se aposenta.

GOL CONTRA

Toda vez em que joga o brasileiro Lucas Moura, do time de futebol londrino Tottenham Hotspur, o coletivo LGBT ‘Proud Lilywhites’ leva uma bandeira do arco-íris com o escudo do clube para o estádio. Admirado por sua postura liberal, Lucas é o atleta queridinho do gay people inglês. Isto é, era...

Porque bastou Lucas declarar apoio ao candidato a presidente do Brasil Jair Bolsonaro, que toda a boa fama desmoronou. Os (ex) fãs de Lucas, enfurecidos, inundaram a internet com reclamações e desacatos. Não é de hoje que a press britânica critica Bolsonaro por suas posições de extrema direita e os episódios de racismo e homofobia.

FALOU BONITO

Ricardo Amaral fez o discurso mais intenso, revelador e bonito, que uma despedida a um amigo poderia ser, na missa de 7º Dia do doce José Hugo Celidônio. Lembrou que o conheceu antes de ele conhecer Marialice, contou fatos do colunismo gastronômico do chef, enalteceu seu humor, a ironia, o charme e o savoir vivre, que eram mais saborosos do que qualquer receita que ele dava.

FLORES PARA CHLOÉ

Nasceu Noah, o neto capixaba-americano de Graça e Antonio Oliveira Santos. Filho da norte-americana Chloé e Marco Antonio Oliveira Santos, jovem empresário polivalente, que atua do setor de plantio e exportação de café ao da exportação de flores.

PERDEU A SERENIDADE

Nas quadras do Country Club, e nas dos outros clubes também, não se fala em outra coisa: o piti de Serena Williams, que bateu boca com o juiz, se desestabilizou e acabou perdendo a partida para a atleta japonesa.

BIOMETRIA, A NOVA “TOMADA DE 3 PINOS”

A “biometria” surgiu como solução para fraudes, mas seus introdutores esqueceram que os idosos possuem digitais mais desgastadas, dificultando a leitura das digitais e causando constrangimentos aos consumidores. Visto isso, o juiz Fernando Cesar Ferreira Viana decidiu ontem que sete empresas de ônibus que de municípios vizinhos ao Rio (São Gonçalo, Niterói, Maricá, Itaboraí e Tanguá) não exijam mais a verificação por biometria para dar direito ao passe livre dos passageiros maiores de 65 anos. Para poder entrar de graça nos ônibus, os idosos já cadastrados no sistema biométrico devem apresentar o Riocard junto com um documento oficial de identidade com foto.

Biometria? Xi! Já estou imaginando a confusão nas zonas eleitorais, com as digitais vencidas dos velhinhos.

QUEM NÃO TEM CÃO CAÇA COM RATO

Não está fácil nem pro Sílvio Santos. Na falta de anunciantes patrocinadores, o recurso foi introduzir ações de merchandising em vários programas do SBT. O “Programa do Ratinho” é o recordista da TV aberta em merchandising, segundo a pesquisa Ibope Merchanview, realizada pela Kantar Ibope Media. Somente em dezembro de 2017, foram 116 ações do tipo no programa do Ratinho, das 307 exibidas nas atrações do SBT. Em maio, as ações de merchandising no programa do apresentador chegaram a 156.

ATENÇÃO, PAPARAZZI!

Hoje, na Argumento do Leblon, vai bombar com a turma do showbiz o lançamento do livro de Aloysio Reis “Rio Vermelho e outros relatos improváveis”, com contos autobiográficos, romance policial e tramas de mistério.

Aloysio é o principal executivo da Sony, e responsável pelo gerenciamento das carreiras de Roberto Carlos, Erasmo, Zé Ramalho, Marisa Monte, Adriana Calcanhotto, Ana Carolina, Skank, Jota Quest, Milton Nascimento, Mallu Magalhães, Moska, Mart’nália, Marcos Valle e João Bosco. Todos esperados, naturalmente.

-----------

A ASSOCIAÇÃO Comercial do Rio de Janeiro recebe amanhã o candidato ao Governo do Rio de Janeiro, Índio da Costa, dentro da série de encontros “Rio em Debate”, em que são colocadas as propostas do postulante ao cargo. Todos eles serão ouvidos.

------------

Com João Francisco Werneck



Recomendadas para você