Jornal do Brasil

Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018 Fundado em 1891

Ciência e Tecnologia

'Estrela da Humanidade' pode ser perigosa: astrônomos indignam-se com novo satélite

Sputnik

Uma empresa norte-americana lançou um satélite chamado "Estrela da Humanidade", provocando reações indignadas entre os astrônomos. Feito de fibra de carbono, o satélite, em forma de bola brilhante, foi lançado em 21 de janeiro na Nova Zelândia pela empresa privada Rocket Lab. 

Batizado da "Estrela da Humanidade", o satélite está coberto com 65 painéis refletores de luz e gira muito rápido. Segundo a ideia dos criadores, este deve se tornar o objeto mais brilhante no céu.

"Onde quer que estejam e o que quer que aconteça em suas vidas, todos poderão ver a 'Estrela da Humanidade' no céu noturno", afirmou Peter Beck, o fundador da Rocket Lab.

Satélite deve ser visível a olho nu até outubro
Satélite deve ser visível a olho nu até outubro

O engenho deverá permanecer em órbita por nove meses, devendo se desintegrar e queimar na atmosfera aproximadamente em outubro. Até então, a "estrela" poderá ser vista pelos habitantes da Terra a olho nu ao amanhecer ou à noite.

De acordo com Beck, a "estrela artificial" no céu tem um sentido simbólico — atrair a atenção das pessoas para o espaço.

No entanto, nem todos gostaram da ideia de Beck, especialmente os astrônomos.

Caleb A. Scharf, diretor do Centro de Astrologia da Universidade Columbia (EUA), acredita que o lançamento do satélite afeta o espaço ao redor da Terra, que já está cheio de satélites e fontes artificiais de luz, o que prejudica as observações astronômicas.

Atualmente, na órbita da Terra estão vários milhares de satélites, aumentando a cada ano. Em particular, há um ano, a Índia colocou em órbita 104 satélites de uma vez.

Outros cientistas compararam a "Estrela da Humanidade" com uma esfera de discoteca, lixo espacial ou grafíti espacial.

"O que irrita mesmo neste satélite é que foi desenhado especialmente para ser o mais brilhante e nada mais. É como se alguém pendurasse uma publicidade de neon perto da janela de seu quarto", opinou Jonathan McDowell, astrofísico do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian.

A "Estrela da Humanidade" se tornou o primeiro objeto de seu gênero lançado ao espaço "apenas para satisfazer as ambições de seu criador", afirma um artigo do portal Gazeta.ru, acrescentando que não deverá ser o último. Em 6 de fevereiro, o bilionário norte-americano e diretor executivo da SpaceX, Elon Musk, planeja lançar o foguete superpesado Falcon Heavy, com um carro esportivo Tesla a bordo, em direção a Marte.

>> Sputnik

Tags: elon musk, espaço, eua, lixo espacial, nova zelândia, perigo, satélite, spacex

Compartilhe: