Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018 Fundado em 1891

Ciência e Tecnologia

Número de cirurgias plásticas entre adolescentes aumenta 145%

Jornal do Brasil

O número de cirurgias plásticas em adolescentes entre 14 e 18 anos mais do que dobrou nos últimos anos – saltou de 50 mil procedimentos em 2010 para mais de 100 mil (145% a mais), segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Permitir que um adolescente se submeta a uma cirurgia plástica requer cuidado. Segundo a cirurgiã plástica Cristiane Todeschini, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica-RJ ,quando um jovem tem este desejo os responsáveis devem fazer uma avaliação criteriosa não somente da motivação do adolescente, mas também de sua condição em passar por um procedimento cirúrgico.

“Em geral os adolescentes têm objetivos diferentes dos adultos quando querem fazer uma cirurgia plástica. Enquanto os mais velhos esperam um resultado que os diferencie dos demais, os jovens têm a expectativa de serem parecidos com outros jovens para se inserir socialmente. É papel do cirurgião plástico avaliar se é indicado esperar até a maioridade para realizar o procedimento cirúrgico", diz Cristiane Todeschini.

Ainda de acordo com SBCP, nessa época do ano – inverno associado às férias escolares – a procura pelas cirurgias aumenta em média 60%. “Isso acontece porque o frio torna o pós-operatório mais confortável, favorecendo a recuperação mais rápida. Além disso, é recomendado não tomar sol após a cirurgia para evitar manchas”, explica a cirurgiã.

De acordo com ela não existe uma norma que defina qual a idade mínima para se submeter à cirurgia plástica. “Não há idade mínima, cada caso tem de ser avaliado separadamente. A idade não é o mais importante. O mais importante é avaliar a evolução física do paciente”, diz. Segundo Cristiane Todeschini, os motivos que levam pessoas jovens a procurarem uma cirurgia plástica são características físicas percebidas como diferentes estranhas ou que causam dor física, como mamas exageradamente grande ou orelhas protuberantes, que podem levá-los a um isolamento dos demais e prejudicar sua saúde, sua vida social e sua autoestima e confiança em si mesmos.

“Em geral, os jovens que corrigem possíveis problemas reganham autoestima e confiança. Uma cirurgia plástica bem sucedida pode, inclusive, reverter a tendência ao isolamento do adolescente que se sente diferente dos demais”, revela a médica, lembrando que há adolescentes com 14 anos que já possuem corpo biológico de adulto.

“O que temos de avaliar é o nível de crescimento e maturação de cada um. Na menina, em geral isso acontece dois a três anos depois da primeira menstruação. No menino é mais difícil definir o início da puberdade, por isso é preciso avaliar cada caso”. No entanto, nem todo adolescente é um bom candidato à cirurgia plástica.

“Geralmente nesta idade eles estão em fase de transformação. Conheço casos e, que eles preferem uma cirurgia em vez de uma festa de 15 anos. Dependendo do caso, é um exagero, pois são muito imediatistas”, avalia, explicando: Como em qualquer processo cirúrgico, os responsáveis devem consentir com a realização do procedimento, mas antes de dar o próximo passo em direção a cirurgia é preciso se certificar de que ele atende a alguns pré-requisitos:

- Demonstrar maturidade emocional e entender os limites da cirurgia plástica. O desejo deve partir do próprio adolescente e ser expresso claramente por ele.

 - Compreender que este é um processo cirúrgico que pode trazer benefícios, mas também possíveis riscos. - Ter expectativas realistas a respeito dos resultados. Observar se o adolescente tem clareza dos limites da cirurgia plástica e das mudanças que podem ser geradas por ela.

 - Ter maturidade mental e física, pois o processo requer preparação. Não ingerir álcool ou outras drogas e não apresentar variações de humor ou comportamento.

De acordo com Cristiane Todeschini, mesmo que estes pontos estejam sendo cumpridos, é sempre bom lembrar: “consulte um cirurgião plástico associado à SBCP para se certificar de que o adolescente está preparado para se submeter a uma cirurgia plástica e que esta é realmente a melhor opção para seu caso” finaliza.



Tags: advertências, ciência, jovens, operações, saúde

Compartilhe: