Jornal do Brasil

Quarta-feira, 23 de Julho de 2014

Antonio Campos

Rio +20: preservar é preciso e urgente 

Antonio Campos

“Uma vida sábia, que leva à serenidade, vem da harmonia com a natureza e a razão”. Esta citação, do livro “A arte de viver”, sintetiza o que precisa ser a real preocupação dos que fizeram a Rio+20, grandioso evento de desenvolvimento sustentável que reuniu mais de 100 países, membros das Nações Unidas, no Rio de Janeiro.

O objetivo foi tratar sobre questões do futuro da humanidade relativas à sobrevivência humana e do planeta, traçando um caminho voltado para o desenvolvimento sustentável e, para isso, elaborando o documento “O futuro que queremos”. Além disso, a Rio+20 teve o intuito de definir novos desafios emergentes. O rascunho do documento final resultante da Rio+20, apresentado pelo Brasil, na sua função de presidente do evento, foi aprovado pelos países participantes.

O rascunho do documento propõe, entre outros importantes pontos, a criação de um fórum político, de alto nível, para o desenvolvimento sustentável dentro das Nações Unidas, levando a discussão do tema, portanto, para além da realização da conferência do Rio de Janeiro. O mundo inteiro voltou-se, portanto, para o Brasil. É chegado o momento dos nossos representantes irem ao púlpito mostrar do que somos capazes, e o que, efetivamente, poderemos fazer para contribuir para o desenvolvimento sustentável global.

Os eventos paralelos a Rio+20 foram um sucesso. O “Humanidade 2012”, com mais de 200 mil visitantes, e a “Cúpula dos Povos”, com mais de 300 mil visitantes, marcaram posição. Em um momento de grave crise financeira internacional, será a mobilização da sociedade que fará a diferença na luta por um mundo mais ecologicamente sustentável.

E um país cercado por água e com uma rica biodiversidade, certamente, potencial não faltará para exercemos uma importante função na preservação, mundial, do meio ambiente. É preciso, portanto, educar e conscientizar a população da real necessidade de desenvolver-se de maneira sustentável, e este deverá ser o inestimável legado deixado pela Rio+20. Devemos unir forças, com os outros países, para concretizar o que tiver sido discutido e decidido nessa conferência. Preservar é preciso e urgente.

 

 

Antônio Campos

Advogado, escritor, membro da Academia Pernambucana de Letras

camposad@camposadvogados.com.br

 

 

Tags: análise, antônio, Campos, coluna, ecologia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.