Justiça reabre investigação de estupro contra fundador do Wikileaks

Agência AFP

ESTOCOLMO - A justiça sueca anunciou nesta quarta-feira que reabrirá a investigação de uma acusação de estupro contra Julian Assange, o fundador do Wikileaks, site especializado no vazamento de documentos confidenciais.

"Há razões para acreditar que foi cometido um crime. Segundo as informações disponíveis atualmente, meu critério é que a qualificação deste crime é 'estupro'", afirmou a diretora da promotoria, Marianne Ny, em um comunicado.

A decisão contradiz outra adotada anteriormente pela promotoria sueca que absolvia Assange das acusações de estupro, o que inicialmente provocou a abertura de um processo judicial.