Teresópolis confirma 8 casos de leptospirose após chuvas

A Secretaria de Saúde de Teresópolis divulgou que o número de casos de leptospirose no município saltou de cinco para oito, nos dois últimos dias, fazendo com que o número total da região serrana do Rio passe para 42.

Boletim semanal da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro publicado na última quarta-feira (9) indicava que a região serrana tinha o registro de 39 casos da doença desde o início das chuvas de janeiro.

Em Teresópolis, segundo a prefeitura, o temporal do dia 12 de janeiro causou a morte de 372 pessoas, deixando 6.727 mil desabrigados e 9.110 desalojados. Até o momento, no município, há 185 notificações de casos suspeitos de leptospirose. "Todos os possíveis infectados com a doença fazem tratamento domiciliar e há um caso de internação."

A prefeitura de Teresópolis está fazendo uma campanha de orientação aos moradores sobre medidas preventivas para evitar uma epidemia da doença e de outros males recorrentes depois de períodos chuvosos em que as enxurradas trazem lixo e fazem subir o esgoto das ruas.

O município com o maior número de casos de leptospirose, até o último boletim do governo estadual, é o de Nova Friburgo, onde 32 casos da doença já foram confirmados.

Doença

A leptospirose é uma doença infecciosa causada pela bactéria Leptospira, presente na urina do rato. Em situações de enchentes e inundações, a urina dos ratos mistura-se à enxurrada e à lama, provocando o risco de contágio. A bactéria penetra no corpo pela pele, principalmente se houver algum ferimento ou arranhão.

Os sintomas mais comuns da doença são febre alta com calafrios, dor de cabeça e dor muscular, principalmente nos membros inferiores e na panturrilha. Também há casos em que os pacientes sentem náuseas, vômitos e diarreia, além de hiperemia conjuntival (olhos acentuadamente avermelhados).

Não existe vacina contra a leptospirose, que tem tratamento quando o diagnóstico é feito com antecedência. Moradores que tiveram suas residências tomadas pelas chuvas devem tomar medidas para evitar o contágio e procurar atendimento médico, quando apresentarem sintomas. As paredes, objetos e as roupas atingidas pela enxurradas devem ser lavados com uma mistura de água sanitária e água (quatro xícaras de café de água sanitária para cada 20 l de água). Já o alimento que teve contato com a água contaminada deve ser jogado fora, pois pode transmitir doenças. A caixas d'água também deve ser limpas e desinfetadas.

Chuvas na região serrana

As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio nos dias 11 e 12 de janeiro provocaram enchentes e inúmeros deslizamentos de terra. As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.