Condomínio de luxo vira cidade-fantasma em Teresópolis

Teresópolis - Um condomínio de luxo da região do Vale Alpino, em Teresópolis, foi transformado em uma cidade-fantasma após a catástrofe que matou mais de 700 pessoas na região serrana do Rio de Janeiro. A estrada que leva ao lugar foi bastante danificada e o pouco que sobrou ainda é comprometido pelo trânsito de veículos pesados que carregam os donativos.

Do lago, no qual moradores se divertiam em barcos tipo "pedalinho", sobrou apenas um lamaçal. Gansos que viviam no lugar sobreviveram à enchente, mas não há quem os alimente. A decoração natalina ainda está no portico de entrada, onde também se lê um anúncio de casa com dois quartos à venda por R$ 90 mil.

No condomínio, a reportagem do Terra encontrou apenas um caseiro, que perdeu tudo que tinha e agora está abrigado na casa do patrão, de quem não recebe notícias há uma semana. Ao menos dois moradores do Retiro da Serra morreram na tragédia, entre eles o proprietário de uma importante rede varejista da cidade. Mas quase todas as dezenas de vítimas foram funcionários e seus familiares, que moravam em casas próximas mais humildes. Todas estão alagadas ou destruídas. Sobreviventes relatam que duas crianças foram encontradas mortas enredadas em uma cerca de arame farpado no local.

Manoel de Souza Rocha, 65 anos, conseguiu o fundamental: salvar todos os seus quatro filhos fugindo para uma região mais alta. Mas perdeu todo o resto. "Se ficássemos mais três minutos, morríamos todos", disse. Durante os trabalhos de busca, carregou muitos corpos para um local onde pudessem ser recolhidos por um helicóptero. A mágoa do caseiro agora é a falta de assistência até do seu empregador. "Ele já não gostava mais muito de vir, agora é que não vem mais mesmo", afirmou.

O jardineiro do condomínio mora em uma das poucas casas que se salvou na região vizinha, chamada Fazenda Alpina. Valdecir da Rocha Silva, 35 anos, perdeu um sobrinho, que morava a poucos metros, e começa a se preocupar em que poderá trabalhar agora, já que o condomínio foi destruído e os jardins foram levados pela enxurrada junto com toneladas de lama e água. "A gente sente muita tristeza e só pensa agora no que vai ser daqui para a frente", disse.

Chuvas na região serrana

As fortes chuvas que atingiram os municípios da região serrana do Rio nos dias 11 e 12 de janeiro provocaram enchentes e inúmeros deslizamentos de terra. As cidades mais atingidas são Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu cerca de 300 mm em 24 horas na região.