Autor de ataque a escola em Realengo não tinha antecedentes criminais

RIO - A chefe da Polícia Civil do Rio, Martha Rocha, disse que Wellington Menezes de Oliveira, autor do ataque à Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, não tinha antecedentes criminais. Onze crianças, sendo dez meninas e um menino, morreram no ataque.

Em entrevista coletiva, a delegada afirmou que a polícia está investigando os motivos que levaram o ex-aluno de 23 anos a cometer os crimes.

O corpo do atirador, que se suicidou após ser atingido na perna por um sargento da PM, foi retirado da escola por volta das 12h20.

O secretário de Saúde do Rio, Sérgio Côrtes, confirmou que das 11 crianças que morreram na Escola Tasso da Silveira, dez são meninas. As crianças tinham entre 12 e 14 anos. Há ainda o registro de 13 alunos feridos.

Na manhã de hoje, um ex-aluno da escola localizada em Realengo, na zona oeste do Rio, entrou na instituição com duas pistolas e foi direto a uma sala de aula, no terceiro andar, onde fez os disparos.

Todas as vítimas foram socorridas por ambulâncias do Corpo de Bombeiros e levadas para o Hospital Estadual Albert Schweitzer. Segundo Sérgio Côrtes, três delas foram operadas e passam bem. Os casos mais graves foram transferidos para os hospitais Pedro Ernesto e Saracuruna, além do Hospital-Geral da Polícia Militar e para o Instituto de Traumatologia. A lista com o nome das vítimas ainda não foi divulgada.