Uma consciência ampliada

Foi somente nas sociedades abertas, capazes de conquistar mercados e dominar seu ambiente, que a noção de sociedade pôde adquirir o estatuto de princípio de avaliação das condutas pessoais ou coletivas.

A sociedade ocidental definiu-se pela acumulação dos recursos nas mãos de uma elite dirigente e pela força dos conflitos sociais que impediram os dirigentes de transformar-se em privilegiados. Voltada para fora, conseguiu pôr a trabalhar o maior número possível para cumprir os objetivos fixados.

A modernidade veio para opor-se à ideia de uma sociedade que seria o seu próprio fundamento. E ela o atesta pela importância que confere à razão, que não depende totalmente do seu papel para o funcionamento da sociedade. O mundo dos interesses e das paixões interligados permanece presente.

A família, os amigos, o meio escolar ou profissional parecem estar em crise por toda a parte, deixando sobretudo o jovem ou idoso numa solidão que pode levar à busca de relações perigosas. O vazio social atinge categorias mais fracas e dependentes, como aquelas à margem do mundo do trabalho.

Estes homens e estas mulheres de que tanto se fala são de fato pessoas havidas como invisíveis. Esta situação assume uma forma extrema quando se olha para os campos de refugiados, deslocados pelas guerras, onde a maioria vive sem recursos próprios, onde a ação parece impossível.

Uma sociedade moderna funda-se sobre a ação racional e o reconhecimento dos direitos universais a todos os indivíduos. Estes dois princípios levados a efeito em conjunto definem a modernidade. Será que, hoje, a organização social está sujeita a uma modernidade que impõe mudanças permanentes?

A modernidade não se identifica com determinada sociedade ou determinado poder, tampouco com determinada corrente de ideias ou determinado tipo de ensino. Mas só pode nos salvar da catástrofe se levar à busca de ação que reafirme a dignidade e o respeito que cada ser humano merece.

Quando o entorno busca apoderar-se de nossas atitudes e funções, somos impelidos a reconhecer que somos capazes de adquirir e manifestar uma consciência ampliada de nós mesmos e do mundo.

* Engenheiro