Parto normal X cesariana

O Ministério da Saúde divulgou algumas estatísticas sobre o número de cesáreas feitas na rede suplementar de saúde (84%) em comparação com a rede pública (40%) a fim de estimular o parto normal e reduzir o número de cesarianas feitas sem necessidade.

O objetivo é mostrar, durante todo do ano de 2015, os riscos de uma cesariana sem indicação médica: aumento em três vezes da possibilidade de morte da mãe e em 120 vezes da possibilidade de problemas respiratórios para o bebê, além de 25% dos óbitos neonatais e 16% dos óbitos infantis estarem relacionados à prematuridade.

Inicialmente todas as gestantes podem fazer o parto normal. Isso só não ocorre quando a mulher já realizou duas ou mais cesarianas ou tem alguma doença grave, como um problema cardíaco, por exemplo. Outro empecilho é quando o bebê não vira de cabeça para baixo.

No parto normal via vaginal a mulher tem uma melhor recuperação, menos riscos de infecção, hemorragias e lesões de órgãos como bexiga, uretra, artérias e intestinos e uso de menos medicamentos. O risco de trombose é menor, já que a paciente volta a caminhar mais cedo do que na cesária. A perda de sangue também é menor (até meio litro), já que não é necessário realizar grandes cortes.

No entanto existem algumas situações que a cesária é indicada: quando exista desproporção céfalo-pélvica (cabeça maior que a passagem da mãe), hemorragias no final da gestação, bebê transverso, sofrimento fetal, diabetes gestacional, pressão alta e trabalho de parto prolongado.

O bebê também tem vantagens no parto normal. O vínculo com a mãe é mais intenso e apesar do bebê passar por estresse, as mudanças que acontecem durante o parto produzem substâncias – como os corticoides – que ajudam a preparar o organismo do bebê para o ambiente externo do útero. Além disso, a saída pelo canal vaginal provoca uma compressão do tórax do bebê que ajuda a eliminar todo o líquido amniótico das vias respiratórias, aliviando desconfortos respiratórios.

O ideal é que a gestante converse com o seu médico e realize todo o pré-natal a fim de ter uma gravidez tranquila podendo assim fazer o parto normal.

*Luiz Fernando Dale é ginecologista e especialista em reprodução humana. Diretor da Clinica Dale.