O pavor da entrevista de emprego

Muita calma nessa hora. Você não está indo para a forca. O máximo que pode acontecer é não dar certo, o que não é a morte, mas que deve ser encarado como um aprendizado para outras entrevistas. Por maior que seja sua necessidade em conseguir um trabalho, a preocupação não vai eliminar as dificuldades de sua vida. Pelo contrário...

Quando você se candidata a uma vaga de emprego, o melhor preparo é ter segurança, antes de qualquer coisa. O medo da entrevista é um estado emocional provocado pela consciência que se tem diante do desconhecido, sendo uma nova empresa, uma pessoa que você não conhece, um novo chefe. A ansiedade presente nesse momento pela eventualidade de um insucesso. Então você pergunta: o que fazer para ter calma e uma postura adequada na tão fatídica hora da entrevista?

Em primeiro lugar, o autoconhecimento é essencial, não somente para se submeter a um processo seletivo mas que vale para toda uma carreira. A princípio, autoconhecimento pode parecer algo muito teórico, psicológico e inacessível. Entretanto, falar sobre nós mesmos requer um autoconhecimento, principalmente profissional, para que passemos convicção e para que falemos aquilo que realmente importa durante a entrevista. O autoconhecimento nos dá segurança quando temos que enfrentar situações tensas.

Os profissionais que me procuram para que eu os auxilie em um processo seletivo passam por uma alta ansiedade causada pela pressão de estarem desempregados e também por terem uma entrevista marcada.

A diretriz de trabalho que adoto com esses profissionais começa com a diminuição ou até eliminação da ansiedade, e, depois, entramos num processo de organização de seu histórico profissional, dando concisão ao discurso. Além disso, o profissional que vai passar por uma entrevista deve ter em mente que, ao falar sobre sua experiência, precisa ter muito claro aquilo que é importante destacar para o entrevistador. Por exemplo, ter sido responsável pelo relacionamento com o cliente, na última empresa em que trabalhou, tem muito mais relevância do que um estágio exercido como primeiro emprego. Se você dá destaque para sua função de se relacionar com o cliente, pode enumerar resultados e melhorias que você conquistou para a empresa. Isso chama bastante a atenção de um entrevistador, seja headhunter seja contratante direto.

Um outro tópico para o qual que chamo a atenção é a atenção que deve ser dada ao currículo, tanto em seu conteúdo como em sua estética. A objetividade é primordial.

Os pontos aqui destacados são realmente os problemas que mais se destacam nas pessoas que vão fazer uma entrevista. Com atenção a esses simples toques você já fará a diferença.

*Gino Cammarota formado em direito, atuou por mais de vinte anos nas áreas de marketing, trade marketing, vendas, promoções, feiras, eventos e treinamentos, e é diretor de Marketing da Associação Nacional dos Gestores de Talentos Humanos