Olimpíada. Que Olimpíada?

O Rio de Janeiro sediará a Olimpíada de 2016. Parece mentira, mas os atletas olímpicos não têm onde treinar. O Parque Aquático Júlio Delamare, tombado pelo município e pelo Patrimônio Histórico da União, e no qual foram gastos mais de dez milhões para reforma por ocasião do Pan-Americano, está fechado e vai virar estacionamento por mero capricho da empresa IMX, que ganhou o complexo de presente. 

A Confederação de Esportes Aquáticos está mandando os atletas treinarem na China, já que o Brasil é, por ser a sede finalista em todas as modalidades de esportes olímpicos e os atletas precisam treinar e no Brasil, não há onde fazê-lo, já que o Maria Lenk também estará fechado para obras em janeiro. Ora, transformar esse patrimônio olímpico, onde foram quebrados recordes nacionais e até mundiais, em estacionamento quando todos os estudos de viabilidade tinham apontado que o estacionamento ficaria do outro lado da linha do trem é um desrespeito ao patrimônio e desperdício do dinheiro público. 

A juíza Gisele Guida, da Vara da Fazenda Pública, após inspeção pessoal no local, até tentou impedir essa agressão ao bom-senso, mas foi rechaçada por decisão superior. O pior é que às vésperas das Olimpíadas de 2016 sem ter onde treinar, os atletas olímpicos não têm muita esperança, já que o espaço que pertence ao Exército e onde estão prometendo construir um novo complexo olímpico, não comporta um novo parque aquático com os padrões do Júlio Delamare e um Estádio de Atletismo Célio de Barros. Enquanto isso, mais uma vez os interesses econômicos superam os interesses públicos e tiram medalhas do Brasil.

*Siro Darlan Oliveira, desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, é membro da Associação Juízes para a democracia. - [email protected]