Passos medidos

Para que uma sociedade seja saudável e estável, tem de chegar a certos princípios éticos comuns. Esses princípios são os que as pessoas consideram do seu interesse e do interesse da sociedade. É sempre melhor quando os membros de uma sociedade chegam a princípios éticos comuns de maneira voluntária. O curso de ação escolhido por uma sociedade provavelmente depende mais das oportunidades existentes do que de preferências abstratas, já que o mesmo grupo de preferências básicas pode provocar comportamento muito diferente, à medida que as oportunidades efetivamente se modificam. 

A criação dessas oportunidades depende, acima de tudo, da expansão do conhecimento. A cooperação voluntária entre pessoas utiliza muito mais informações e conhecimentos do que qualquer indivíduo isolado, ou governo, pode possuir. As interações entre as pessoas certamente dão origem a organizações melhores e mais esclarecidas do que aquelas que o Estado pode vir a criar. A globalização obriga à reflexão sobre as organizações que garantem seu exercício e seus limites. 

À medida que as organizações se tornam maiores, as relações tendem a tornar-se mais formalizadas, mais agudo será o problema da sociedade em chegar ao grau e tipo de formalização requerido de fato. A organização de empresas sob a forma de parcerias consagra o fato de que o capital mais precioso de uma empresa é a soma de competências que ela soube agregar. Daí que a busca de interesses privados contribui para a realização de interesses públicos. 

A definição de atores públicos sofre profunda modificação, pois inúmeros atores novos aparecem junto às instituições políticas clássicas. Nos dias de hoje, a vida política, ao eliminar a aspiração de organizar e controlar o poder nas comunidades políticas, de incerta evidência e de contornos em incessante redefinição, rompe com uma tradição que era relacionada a uma época em que o mundo de fato era governado por príncipes. Uma evolução que transforma profundamente o exercício do poder, nesse mundo que avança a passos medidos. 

Em face da insatisfação crescente da população em praça pública, por todo o país, nossos governantes, nas diferentes instâncias, sem terem com quem negociar, se veem obrigados a ceder.