Fumantes à sua volta 

No mundo, 47% das pessoas do sexo masculino fumam, e do feminino 12%. Já no Brasil, são 30 milhões de fumantes, ou 14,8% da população. Nada mal quando sabemos que em 1989 o nosso país tinha 34,8%; e em 2003, 22,4%. Ou seja, na proporção da população atual de 192 milhões de habitantes, se não tivéssemos obtido sucesso nas campanhas contra o tabagismo, o total de brasileiros fumantes seria de 67 milhões, ou, pelo lado positivo, 37 milhões a menos de baforantes... Quer dizer, valeu a pena a proibição de se fumar nos hospitais, restaurantes, ônibus, táxis, dentro das dependências de trabalho, etc. Na minha casa, dois filhos meus somente fumam no quintal, sendo o único prejudicado o passarinho...

Mas, para entender melhor a classe dos fumantes no Brasil, dos 30 milhões de tabagistas, temos 30 mil crianças que fumam com idade de 5 a 9 anos, e outros 3 milhões de 15 a 19 anos. A conta salgada deste vício não se resume apenas aos R$ 426 milhões que o SUS gasta por ano para cuidar dos dependentes. De acordo com a pesquisa divulgada pela Organização Pan-Americana de Saúde, os fumantes representam 25% das mortes por derrame cerebral, 30% por câncer em geral. Mas as mortes de fumantes relativas ao câncer do pulmão são os astronômicos 90%.

E, para refrescar, um dado interessante para incentivar principalmente aqueles que pretendem largar o vício do cigarro: deixando de fumar um maço por dia, ao final de um ano este ex-fumante poderá economizar e comprar uma TVLC de 42 polegadas à vista! Logicamente que este é o menor dos benefícios.  A qualidade de vida vem em primeiro lugar... Ainda há tempo!

  

Paulo Panossian é jornalista. - [email protected]