Xuxa é mesmo a Rainha das crianças brasileiras

Há dias tive o privilégio de assistir à gravação do programa de Natal da Xuxa com minhas netinhas Sophia e Giovanna. Testemunhei três gerações emocionadas ouvindo e vibrando com as músicas educativas e cheias de mensagens positivas para um mundo melhor. 

Já ouvi algumas críticas ao trabalho da Xuxa, mas não posso concordar com nenhuma. Xuxa é uma brasileira engajada com as causas sociais e comprometida com a defesa dos direitos das crianças e adolescentes. Não apenas profissionalmente, mas pessoalmente mantém com seus recursos a Fundação Xuxa Meneghel, que mantém mais de 500 crianças em estado de educação integral e permanente. 

As mensagens que canta e promove para as famílias de respeito e amor às crianças é comovente e convincente. Feliz o país que tem essa mulher carismática comprometida com a defesa dos direitos das crianças e adolescentes. 

O Maracanãzinho ficou pequeno para receber tantas crianças, adolescentes e familiares. A todo o momento, em clima de Paz e Amor havia uma mensagem de respeito aos direitos das crianças. A campanha Não Bata, Eduque – que é uma novidade muito positiva para uma cultura de violência que agride as crianças brasileiras que sofrem as mais diversas formas de violência, a maioria delas dentro do próprio ambiente familiar – tem nessa artista consagrada uma aliada importante e poderosa.

O exemplo de Xuxa deverá contagiar outros artistas e formadores de opinião, como já acontece, por exemplo, com Ivete Sangalo, que recentemente foi mãe e que também deixou uma bela mensagem de amor às crianças. O Natal é o momento propício para uma reflexão e mudança desse paradigma de violência, já que a Criança que nasce traz a mensagem de paz na terra aos homens de boa vontade.

O clima de guerra criado recentemente em nossa cidade deve dar lugar à reconciliação com os jovens que hoje ocupam as páginas policiais porque foram crianças abandonadas, educadas na violência e na ausência de respeito e dignidade por falta de políticas públicas e famílias que as respeitassem e amassem.

Não basta a ocupação física das comunidades antes dominadas pelo crime. Faz-se necessária uma mudança de procedimentos com investimentos sociais e transformação do violento e corrupto aparato policial para garantir a verdadeira paz nas comunidades tão abandonadas pelo poder público.

As crianças aguardam esse momento para poderem viver tranquilamente a sua infância com a pureza de seus corações. Seria muito bom se todos assistissem e assimilassem as mensagens positivas de respeito aos direitos das crianças que o programa de Natal da Xuxa levará aos nossos lares. Mas não basta ouvir e se emocionar. É preciso promover a verdadeira mudança, que só virá quando olharmos para cada criança, seja de nossa família ou da mais pobre e necessitada família, como cidadãs que todas são, logo credoras dos mesmos e iguais direitos.

Que essa estrela que brilha em nossas telinhas possa ser a boa fada que promoverá essa mudança para que nosso país respeite suas crianças, e não seja apenas uma estrela, mas uma constelação de formadores de opinião, comprometidos com a causa das crianças a sementar as bases de uma nova sociedade, onde a criança seja efetivamente respeitada.

Viva Xuxa, a Rainha dos Baixinhos de três gerações!                

*  Siro Darlan é desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e membro da Associação Juízes para a Democracia.