Câncer de próstata

Cinco segundos – é quanto basta para o urologista detectar a doença a tempo de a prevenir ou curar

 

 

Muito mais do que se imagina, o câncer de próstata é a doença com maior incidência entre os homens. Perde apenas para o câncer de pele. É também a segunda maior causa de mortes no Brasil, seguida pelo câncer de pulmão (fumantes estão incluídos aí). São diagnosticados no país 50 mil casos da doença/ano.  Destas, 95% são entre homens de 45 a 89 anos de idade. Os homens se precatem e procurem os médicos  urologistas. O exame é bastante simples e rápido, e se a doença for diagnosticada no início é tratada facilmente. 

O câncer de próstata surge por razões não conhecidas pela ciência. As células da próstata passam a se dividir e se multiplicar de forma desordenada, levando à formação de um tumor. Alguns tumores podem crescer de forma rápida e se espalham por outros órgãos do corpo, podendo levar à morte. Essas células se espalham  e podem provocar o mal (metástase) a partir da próstata e em direção a outras partes do corpo como reto, uretra, bexiga, ossos, fígado e pulmões. A grande maioria de tumores no entanto cresce de forma lenta e não chega a dar sintomas durante a vida nem ameaçar a saúde do homem. 

Apesar da alta incidência do câncer de próstata na população masculina, observa-se que em cada 14 pessoas acometidas com a enfermidade apenas uma morre  em decorrência da doença (Instituto Nacional do Câncer). A prevenção é e será sempre o melhor caminho a tomar. Com  diagnósticos preventivos se pode detectar o início da doença, aumentando as chances de cura. 

Homens com idade igual ou superior a 45 anos devem realizar anualmente exames preventivos, tais como a dosagem do Antígeno Prostático Específico (PSA), que em taxas elevadas pode indicar a presença do câncer e recomendar o fundamental toque. É com ele que  se detecta o início da doença. O médico, com a sensibilidade do dedo, sente ao redor da próstata uma espécie de ranhura. 

É como se você fechasse os olhos e passasse a ponta do dedo numa lixa fina e sentisse aquela  porosidade. Homens com pessoas na família que tiveram a doença podem procurar o urologista mais cedo, aos 40 anos, e duas vezes ao ano. É certamente a rotina mais segura. A maioria dos diagnósticos de câncer em estágio inicial é curável. O maior problema é que metade dos casos é identificada quando a doença já está disseminada, aí dificulta um pouco. 

A próstata é um órgão do sistema reprodutor masculino que ajuda a produzir e armazenar fluido seminal, substância que, junto com o esperma, permite aos espermatozoides sobreviverem e atingirem o óvulo feminino na reprodução. No homem adulto, a próstata normal possui cerca de 3 cm, está localizada na pelve, abaixo da bexiga urinária e na frente do reto, e envolve parte da uretra, canal pelo qual a urina é eliminada. Sintomas deste mal: jato urinário fraco, dificuldade ou demora no urinar, necessidade frequente de urinar, interrupção involuntária no jato, presença de sangue na urina, dor ou sensação de queimação durante o ato de urinar, urgência (sensação de que não pode segurar a urina) e sensação de  esvaziamento incompleto da bexiga. 

Evidente que estes sintomas  podem ser de outras doenças do trato urinário. Daí a necessidade de se fazerem exames específicos. Existem várias maneiras de tratamento, dependendo da idade e do estágio da doença, condições clínicas do paciente. Aí o médico avaliará estes fatores e decidirá a melhor conduta a tomar. Cirurgia, radioterapia, medicamentos, terapia hormonal, quimioterapia e braquiterapia (implante de sementes radioativas na glândula). 

O câncer de próstata aparece mais frequente em pessoas com maior idade. Existe também o fator hormonal, o histórico familiar e a etnia (maior incidência em homens negros). 

Como evitar? Ainda não é possível, mas ter uma alimentação saudável, comer folhas, frutas vermelhas, fazer atividades físicas  regulares, evitar fumo e bebidas alcoólicas podem ajudar. Aos homens, não podemos descartar o toque, cinco segundinhos apenas – é a melhor forma  de detectar a doença chegando perto de 100% de eficiência. 

É uma técnica simples e importante, o médico insere o dedo no reto do paciente, sente a próstata através do tecido retal. É um teste rápido que pode revelar o tamanho, o formato, a textura da próstata, se ela está dura ou não, com ou sem calosidades. Com base no toque retal o médico decide se testes adicionais  devem ser realizados. Curta  a vida mais um pouquinho. Quantos homens se foram antes por terem evitado apenas um toque!

 

*Julio José de Melo é Oficial da reserva do EB