Bebês mais protegidos

M AT E R N I D A D E

Pulseirinhas eletrônicas para evitar troca ou raptos de bebês podem ser obrigatórias nas maternidades

Luisa Bustamante

Os episódios de troca e se- questros de bebês podem estar chegando aofim. Umprojeto de lei aprovado neste ano quer obrigar as maternidades do EspíritoSanto –estadoonde ocorreram muitosdesses ca- sos, principalmente no inte- rior– adisponibilizaremuma pulseirinha eletrônica para monitorar os recém-nascidos. Em todo o mundo já são mais de 200 mil os bebês monitora- dos pela pulseira. O procedi- mento, que checa dados dos pacientesa cadacincosegun- dos, procura evitar problemas como troca, abuso e até roubo de bebês nas maternidades. Segundo orepresentante dos equipamentos no Brasil, Mauro Quintão, a medida deve começar no estado capixaba, passando a seguir para o resto do país. – No Espírito Santo, casos de sequestros emolestamento de criançassão normais,ainda mais no interior – observa. – Por isso desenvolvemos o sistema. Apulseira temum sensorque dispara quando passa pela por- ta do hospital. Mauro acrescenta que a pul- seira também ajuda a monito- rar pessoas com Alzheimer ou outro tipo de demência. –Imagina quevocê leveum paciente com Alzheimer para o hospital e, em algum momento, precise sair de perto dele – su- gere. –Aquele pacientepode muito bem sair do hospital sem ninguém perceber,porque, aparentemente, ele não tem nenhum problema.A pulseira ajuda também a detectar esses casos, que são muito comuns. O projetode lei queprevê a obrigatoriedade daspulseiras nas maternidades foi aprovado emagosto,mas aindanãofun- ciona na prática.

As pulseirinhas acionam o alarme da maternidade no exato momento em que ela cruza a porta de saída

mais

Divulgação

SEMPRE À VISTA

–A tecnologia já monitora cerca de 200 mil bebês em todo o mundo

–O projetoainda estáen- gatinhando – pondera a de- putada estadual Luzia Tole- do,autora dalei. –Primeiro queremos conscientizar a po- pulação para não parecer uma medida imposta pelo Ministério Público.Vamos trabalhar de uma forma mo- bilizadora, conscientizando e informando a sociedade.