Presidente da Faperj pede exoneração

Pedido foi protocolado para amanhã, seis meses após assumir o cargo

O pesquisador Ricardo Vieiralves de Castro, reitor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), de 2008 a 2015, que assumiu a presidência da Fundação de Amparo à Pesquisa (Faperj) em setembro de 2017, já protocolou sua exoneração do cargo para amanhã. No sábado, o colunista Jan Th eophilo, do Informe JB, revelou que o governo pagou R$ 20 milhões a Concrejato para reformar o prédio que abrigaria a nova sede da instituição e o Palácio da Ciência, mas nenhuma benfeitoria foi constatada e o local está abandonado, infestado de ratos. O jornal tentou contato com o pesquisador, mas não houve retorno. 

Até o fim da tarde desta segunda-feira também não houve retorno do secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Gabriel Neves, a quem a Faperj está subordinada. Através de funcionários da fundação, o JB apurou que em junho de 2007, o então governador Sérgio Cabral determinou que 2% da receita tributária líquida do Estado fossem destinados  à Faperj, para estimular o desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia. Com a nova regra, o orçamento da fundação chegou a cerca de R$ 400 milhões em 2016, quando as obras de restauração do que seria a futura sede da Faperj e da Academia Brasileira de Ciência (ABC) estariam a pleno vapor, embora não houvesse inventários do que a Concrejato chegou de fato a executar, apesar de ter recebido mais da metade dos R$ 40 milhões contratados pelo projeto. 

Só que daí em diante os recursos começaram a minguar com a crise fiscal que corroeu os cofres do estado. E veio o incêndio, em abril de 2017, também sem um inventário posterior do que teria escapado das chamas. 

Existe um contrato de cessão de parte do imóvel entre a Faperj e a ABC, do Museu da Ciência, a partir do fim da obra do reparo. Como isso não chegou a acontecer, a ABC, para todos os efeitos, não é parte do projeto, conforme esclarece sua assessoria de imprensa. 

Em matéria de projetos, a academia investe todas as suas fichas na iniciativa que envolveu mais de 150 cientistas brasileiros — todos trabalhando de graça — no desenvolvimento de estudos estratégicos que darão origem a “Um Projeto de Ciência para o Brasil”, livro em processo de conclusão para publicação gratuita, que será enviado a todos os presidenciáveis nas próximas eleições. 

Em nível internacional, informa também a assessoria de imprensa da ABC, a instituição representa o Brasil em reuniões de diversas entidades e em diferentes instâncias decisórias. Este conteúdo está compilado até 2016 nos “Relatórios de Atividades”, disponíveis no site (https://www.abc. org.br/?-Periodicos-). O conteúdo de 2017 será publicado até maio, na Reunião Magna da ABC. Este ano, a academia realiza, de 8 a 10 de maio, no Museu do Amanhã, debates entre cientistas de excelência sobre a ciência em diversas áreas de interesse da sociedade brasileira sobre o tema “Imaginando o futuro”.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais