Obras garantem balneabilidade na Praia da Urca

Em 2017, banho de mar esteve liberado em 90% das análises realizadas pelo Inea

A qualidade da água da praia da Urca, na Zona Sul do Rio, tem atraído cada vez mais banhistas e visitantes. Com paisagem privilegiada e águas tranquilas, a praia obteve liberação para o banho em 90% das análises realizadas pelo Inea (Instituto Estadual do Ambiente) em 2017. A melhoria é resultado das intervenções feitas pela Cedae e a Prefeitura do Rio.

"A condição de balneabilidade da Urca sinalizou uma melhora significativa nos últimos anos. Em 2015, tínhamos um total de 15% de boletins próprios no ano. Em 2016, 67% de boletins estavam próprios. No ano passado, foram 90% dos boletins", explicou o coordenador de Monitoramento da Qualidade Ambiental do Inea, Leonardo Daemon.

A Cedae realizou obras de modernização dos sistemas de esgotamento sanitário das praias da Urca e Vermelha, que juntas receberam investimentos de aproximadamente R$ 7 milhões.

As intervenções da companhia incluíram a implantação de novas redes coletoras de esgotos sanitários; eliminação de pontos de lançamento de esgotos difusos nas galerias de águas pluviais; modernização das Estações Elevatórias do Forte de São João, na área militar, e da Urca, na Praça Tenente Gil Guilherme; e interligação das Estações Elevatórias ao Centro de Controle Operacional do Leblon (CCO), para monitoramento das unidades em tempo real.

Frequentadores comemoram

Frequentador da praia há 50 anos, Rubens Marcos Pereira tem acompanhado as melhorias na Urca.

"Tenho acompanhado as condições da praia e a água está visivelmente melhor. A praia está boa para banho", disse Rubens, de 62 anos.

Morador da Urca, Lavoisier Ferreira do Nascimento, de 24 anos, também nota a limpeza na areia da praia.

"Há mais ou menos um ano, além da balneabilidade da água, percebo a limpeza na areia da praia da Urca. Fico feliz com as melhorias, porque frequento essa área desde a minha infância", afirmou Lavoisier.

Recomendação

Os banhistas devem acompanhar os boletins de balneabilidade divulgados no site www.inea.rj.gov.br. Fatores pontuais, como chuvas intensas, podem alterar as condições das praias, especialmente as localizadas em áreas urbanas, onde deságuam rios e canais. Neste caso, até 24 horas após as chuvas não é recomendado o banho de mar.