Governo assina liberação de R$ 27,6 milhões para 785 escolas

Recursos são direcionados a colégios estaduais e municipais

O governador Luiz Fernando Pezão assinou com o Ministério da Educação (MEC), a autorização da liberação de recursos de R$ 27,6 milhões para 785 escolas da rede pública do Rio. A solenidade foi realizada no Palácio Guanabara, com a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; do ministro da Educação, Mendonça Filho; e dos secretários de Estado de Educação, Wagner Victer, e da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo.

Os recursos, provenientes do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), do MEC, serão disponibilizados para 445 escolas da rede estadual, distribuídas por 28 municípios do estado, e para 340 escolas da rede municipal de ensino da capital. As escolas que receberão os recursos foram selecionadas por conta de sua localização e por já participarem de programas do governo federal, em parceria com o governo estadual. 

Pezão salientou a importância dos investimentos em Educação para o Estado.

"Quero agradecer ao Rodrigo Maia, que foi campeão com nosso Estado. Se não houvesse essa parceria, não atravessaríamos este ano e não estaríamos aqui nesta solenidade tão importante, que garante recursos para a Educação, que é fundamental para o nosso Estado e o nosso país. Quando o Rio vai bem, o Brasil vai bem", disse o governador. 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, salientou que a Educação será crucial para transformar o Brasil e capacitar o país para as mudanças geradas pelas novas tecnologias. 

"Se nós queremos transformar o Brasil, todos os investimentos na educação são poucos diante das necessidades da nossa sociedade. É grande a minha alegria de estar aqui assinando um convênio para a educação. Estamos preocupados em recuperar o nosso Estado tão machucado", afirmou. 

O ministro da Educação, Mendonça Filho, explicou que foi criado um PDDE especial para o Estado do Rio, sendo que os recursos são administrados pelos próprios diretores das escolas. 

"Criamos um PPDE especial para o Rio de Janeiro. São recursos administrados pelos próprios diretores das escolas, para atividades de custeio, extensão de horários-aula e pequenos investimentos. A seleção das escolas é feita com critérios técnicos. Assim, combatemos a evasão escolar, tornando a escola mais atrativa, com atividades complementares", disse. 

O secretário de Estado da Educação, Wagner Victer, detalhou como os colégios poderão usar os recursos liberados pelo PDDE. 

"As direções das unidades de ensino receberão os recursos e poderão utilizá-los para pequenos reparos e compra de equipamentos. Os repasses começam no início de 2018 e variam conforme a quantidade de alunos de cada colégio. Além do investimento, as unidades de ensino serão beneficiadas com a oferta de oficinas culturais e esportivas, aos sábados e nos contraturnos", explicou. 

O secretário de Estado da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo, ressaltou que, em 2018, o governo estadual vai investir na conclusão de reformas e na manutenção de escolas. 

"É muito importante ter recursos aplicados diretamente nas escolas e no ano que vem, com a recuperação fiscal, vamos usar recursos do Tesouro para concluir as obras em escolas, especialmente na região Norte, nas Baixadas Litorâneas e na Região Metropolitana, e também investiremos na manutenção", disse o secretário.