Rocinha tem intenso tiroteio na véspera do Natal

Circulam informações de que estaria sendo articulada nova invasão à comunidade

A Rocinha, que viveu dias de pânico durante 2017 com confrontos na comunidade, repete a experiência neste domingo (24), véspera de Natal. Moradores, que não quiseram se identificar, relataram intenso tiroteio na parte alta da comunidade. Circularam informações de que estaria sendo articulada nesta noite mais uma invasão de traficantes, que querem tomar o controle do tráfico na região. De acordo com a Polícia Militar (PM), o Batalhão de Operações Especiais (Bope) faz uma operação na comunidade.

Policiais da UPP Rocinha informaram que houve confronto com criminosos envolvendo uma guarnição da UPP e o Bope. Na página do Facebook "Rocinha Alerta", publicação já avisa sobre tiroteio na comunidade, e recomenda: "Evitem crianças na rua".

Desde setembro, quando houve intenso tiroteio entre bandidos rivais, a Rocinha, comunidade da Zona Sul do Rio, vive pressionada pelo medo. Na ocasião, Rogério Avelino de Souza, o Rogério 157, enfrentou com seu grupo os traficantes comandados por Antonio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, antigo comandante do tráfico na região e que está preso desde 2011. Nem deu ordens de dentro de um presídio federal fora do Rio para que integrantes de sua quadrilha invadissem a Rocinha com o apoio de homens de outras comunidades, ligados à mesma facção criminosa.

Desde então a comunidade vive uma rotina de tiroteios, e foi inclusive ocupada pelas Forças Armadas, numa tentativa fracassada de acabar com os confrontos. No início deste mês, após intensa caçada, Rogério 157 foi preso na favela do Arará, Benfica, na Zona Norte do Rio. Contudo, as trocas de tiro deste domingo mostram que a guerra pelo comando da comunidade continua.