Natal: cariocas e turistas pedem mais segurança e políticos honestos para o Rio 

'JB' perguntou sobre o melhor presente para a cidade, após um ano de grave crise

Com 2017 se aproximando do fim e em plena véspera de Natal, o Jornal do Brasil ouviu cariocas e turistas sobre o que o Rio de Janeiro merece de presente neste ano, quando o estado atravessou uma grave crise política e econômica. "O Rio merece o fim da violência, mas isso é uma utopia, né?”, avaliou o músico Tony Silva, enquanto tocava Rock and roll all nite, do Kiss, nas proximidades do Museu do Amanhã, no Centro da cidade.

Ele aproveitou para desejar um feliz Natal para os cariocas. “Muita fé em Deus, e aproveitem esse período de Natal. Nunca saiam de casa sem fazer o sinal da cruz. Isso evita muita coisa ruim de acontecer."

Tony Silva também alertou sobre as próximas eleições. “Com 2018 se aproximando, vamos ter sabedoria na hora de renovar o Congresso Nacional. Porque com esse Congresso que está aí, meu amigo, não tem como”, afirmou, dedilhando as primeiras notas de Mrs. Robinson, do Simon & Garfunkel, sem cerimônia.

A aposentada, que se identificou apenas como Sônia, também pediu mais segurança. “O Rio precisa, né? Tá complicado andar nessa cidade”, resumiu. 

Recém-morador do Rio de Janeiro, Antônio Hugo foi outro a considerar a segurança uma prioridade.“Eu ando pelo Rio e não tem policial suficiente para a densidade populacional que existe em cada esquina, principalmente no subúrbio”, afirmou.

 “Além disso, o Rio precisa de limpeza. Limpeza urbana, limpeza da Baía. Isso é fundamental.”

Antônio Hugo, contudo, demonstrou esperança no futuro, como consequência do trabalho da Justiça. “Está acontecendo uma revolução na política. O futuro vai ser bom para os nossos filhos, mas a gente vai sofrer muitos anos ainda. O que acontece hoje no Rio e no Brasil é para o futuro dos nossos filhos."

Políticos honestos

“O maior presente que o Rio merece seria ter políticos mais honestos, pois é uma cidade tão linda e que nos recebe tão bem. Ela precisava só de seriedade na política. A simpatia do povo e a beleza da cidade já existem”, disse Marília Santos, que veio de São Luís visitar a cidade com sua família.

“As prisões dos corruptos foram boas. Fazem a gente acreditar que ainda há uma saída, mas falta muito para caminhar. Acho que é um início, né?”, completou Marília, com um tom esperançoso, porém sem deixar de exprimir certa desconfiança nas próprias palavras.

* do projeto de estágio do JB