Polícia identifica um dos assassinos de comandante de batalhão da PM, no Rio

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou nesta sexta-feira (27) que já foi identificado um dos autores da sequência de tiros contra o carro onde estava o coronel Luiz Gustavo Teixeira, comandante do 3° Batalhão da Polícia Militar, no bairro do Méier, zona norte do Rio.

Ontem, o carro do coronel Teixeira, que estava descaracterizado, foi atingido quando passava pela Rua Hermengarda. O coronel viajava no banco do carona e chegou a ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos.

Ontem mesmo o Complexo do Lins foi ocupado pelas forças de segurança em busca dos assassinos e o disque-denúncia ofereceu recompensa de R$ 5 mil por informações sobre os autores do crime.

Disque-Denúncia

O Portal dos Procurados do Disque Denúncia divulgou quinta-feira (26) cartaz com título "Quem Matou?" com a finalidade de ajudar a Divisão de Homicídios da capital na identificação dos envolvidos na morte do coronel Luiz Gustavo Lima Teixeira e do cabo Djalma Veríssimo Pequeno, de 36 anos, lotado no 41º Batalhão da PM (Irajá), ocorridas nesta quinta-feira.

Com a morte do oficial superior e do cabo Djalma, sobe para 112 o número de PMs mortos no estado do Rio em 2017, o que dá uma média de um policial morto a cada 2,7 dias. O Portal dos Procurados oferece R$ 5 mil de recompensa a quem der informações que levem à prisão dos autores do crime dos dois militares.

No momento do ataque ao coronel, o carro que vinha à frente da viatura parou no meio da via. Depois, os bandidos desembarcaram para iniciar um arrastão. Houve troca de tiros e o oficial levou um tiro de fuzil no peito e o motorista foi atingido na perna.

Teixeira, que foi atingido no peito, chegou a ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, mas já chegou morto na unidade. Já o outro PM, não corre o risco de morrer. O coronel estava a 26 anos na PM e à frente do 3° Batalhão do Méier há quase dois anos. Ele deixa esposa e dois filhos.

Cabo Djalma

O cabo Djalma, do 41º BPM, foi morto durante uma troca de tiros em um shopping em Guadalupe, também na zona norte do Rio. Djalma e o outro policial estavam de folga e foram baleados ao reagirem a uma tentativa de assalto a uma joalheria, dentro do shopping Jardim Guadalupe, na Avenida Brasil. O cabo morreu no local, enquanto o outro PM foi socorrido no Hospital Albert Schweitzer, em Realengo, na zona oeste. 

A polícia está usando vários canais para o recebimento de informações: Whatsapp ou Telegram do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; Central de Atendimento do Disque Denúncia (21) 2253-1177; Facebook/(inbox), endereço: httpss://www.facebook.com/procurados.org/; e pelo aplicativo Disque Denúncia RJ.

Com Agência Brasil