SBPRJ envia ao governador carta em solidariedade aos funcionários do Theatro Municipal

A Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ), enviou ao governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, uma carta em solidariedade aos artistas e demais funcionários do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Na terça-feira (9), artistas do teatro realizaram um concerto gratuito, com a participação do coro, orquestra, balé e técnica para protestar contra o atraso dos salários dos artistas, que são servidores públicos do estado. Eles também aguardam o pagamento do décimo-terceiro de 2016. Ainda não há informações de quando o pagamento será realizado.

Veja a carta na íntegra:

A Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ), filiada à International Psychoanalytical Association (IPA), através de sua diretoria, vem a público manifestar seu apoio incondicional e sua solidariedade a todos os funcionários do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, nosso caro patrimônio e joia da cultura brasileira.

É com enorme tristeza e preocupação que acompanhamos a terrível situação pela qual vêm passando os talentosos músicos da Orquestra do TMRJ, o excepcional corpo de baile, os diretores e técnicos, e todos os funcionários de apoio.

Lavramos nosso protesto face à absurda, inaceitável e indigna condição de privação de meses de seus salários.

Embora seja do conhecimento de todos que a crise pela qual passa o estado e o país é muito profunda e afeta praticamente todas as áreas das atividades públicas, exigimos que as autoridades competentes se sensibilizem diante do desespero desses funcionários e de suas famílias, e assumam suas responsabilidades com a imediata liberação dos recursos a que fazem jus, libertando-os da humilhante situação de quase mendicância.

‘A Cultura é a Alma de uma Nação’ e ‘SOS’ lia-se nas faixas estendidas no belo pórtico da entrada nobre do Theatro, durante a lindíssima apresentação que os artistas generosamente ofereceram a seu público emocionado, nas escadarias, no dia 09 de maio.

Tratar com tal descaso e indiferença seus artistas, deixar morrer seu teatro maior, é demonstrar completa falta de visão do que representam a cultura, o saber, a educação pela arte, para uma nação; é apostar na ignorância e no atraso.

Sem cultura um povo não tem identidade!