Secretaria de Educação, Esportes e Lazer desmente boatos sobre Ônibus da Liberdade

Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Lazer do Rio divulgou uma nota sobre suposto decreto que teria reduzido em 30% o transporte gratuito para alunos das escolas da rede municipal. "Não são verdadeiras as informações de que a Prefeitura pretende acabar ou reduzir a frota de Ônibus da Liberdade que faz parte do programa de transporte escolar do município", diz a prefeitura.

Veja a nota:

Desde ontem, circulam boatos e até áudios apócrifos com promessas de parar Santa Cruz em manifestações contra um suposto decreto do Prefeito Marcelo Crivella que teria reduzido em 30% o transporte gratuito para alunos das escolas da rede municipal. Alguns vereadores já estiveram com o secretário municipal de Educação, Esportes e Lazer, César Benjamin, para pedir que reconsidere a decisão.  

Não são verdadeiras as informações de que a Prefeitura pretende acabar ou reduzir a frota de Ônibus da Liberdade que faz parte do programa de transporte escolar do município.

Esse decreto não existe e sequer foi cogitado. A Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Lazer atribui essa operação orquestrada de difundir falsas informações à deliberada intenção das empresas que operam esse transporte de impedir qualquer renegociação de valores e rotas das linhas que atendem os alunos.

A Prefeitura paga R$ 80 milhões ao ano pelo transporte de crianças e jovens que moram em áreas sem atendimento de transporte público coletivo ou em outras onde o transporte de passageiros opera com intervalos que não atendem à necessidade de deslocamento dos estudantes.

Atualmente, as 7ª, 8ª, 9ª e 10ª CREs, todas na Zona Oeste, fazem parte do projeto, que opera com  256 ônibus (cinco micro ônibus e 14 ônibus adaptados)  em  47 linhas. No total, elas atendem 48.553 alunos e 25.575 responsáveis. O programa será mantido.