Banco de Sangue Santa Teresa precisa urgente de doadores O+

Estoques do tipo sanguíneo estão abaixo do ideal e unidade chama por doadores

O Banco de Sangue Santa Teresa, de Petrópolis, está com estoque abaixo do ideal e precisa de doadores de sangue. O frio e o tempo seco colaboram para a disseminação do vírus da gripe e, consequentemente, afastam doadores, ressalta a entidade. Alguns tipos de sangue pedem atenção especial, como é o caso do sangue O +.

Em Petrópolis o estoque ideal desse tipo sanguíneo teria que atender os próximos 10 dias, mas a cobertura hoje é para, em média, cinco dias. Estima-se que 37% da população no Brasil tenha sangue O + e, na transfusão, pacientes com este sangue podem receber doação apenas de sangue O + e O -. Em contrapartida, ela atende a todos o tipos de sangue de RH positivos.

Segundo Vinícius Queiroz, supervisor de captação do Grupo GSH, responsável pelo Banco de Sangue Santa Teresa, o sangue O+ é usado como código vermelho para atendimento de transfusões de urgência. “Em situação emergenciais, onde não há tempo para fazer a tipagem sanguínea por completa, e só há tempo para determinar  do fator Rh (- ou +) do paciente, o sangue O+ é utilizado para atendimento de transfusões imediatas em pessoas com Rh positivo”, afirma.

Veja como é fácil doar    

Os interessados precisam pesar mais de 50 quilos e estar em boas condições de saúde. Não é necessário fazer jejum, mas é preciso esperar 3 horas após o almoço ou a ingestão de alimentos gordurosos. No local, basta apresentar um documento oficial com foto e ter entre 16 e 69 anos (menores de idade precisam de autorização e estar acompanhados por um responsável). O voluntário não pode ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação. Quem fez endoscopia deverá aguardar 6 meses após a realização do procedimento.