Apesar de bloqueios, moradores ignoram fechamento da ciclovia da Niemeyer 

Há cerca de quinze dias, trecho da via desabou matando duas pessoas

Há aproximadamente quinze dias, os moradores da região de São Conrado/Vidigal tomaram um susto com a tragédia que ocorreu na recém inaugurada ciclovia Tim Maia. No dia 21 de abril, um trecho de aproximadamente 20 metros desabou após ser atingido por uma onda, matando duas pessoas que passavam pelo local.

Nesta terça-feira (10), a equipe do Jornal do Brasil flagrou moradores da região se arriscando na ciclovia, apesar dos bloqueios e das muitas equipes da Guarda Municipal espalhadas pelo local.

Ao ser questionado se não teme uma nova tragédia, o morador da comunidade do Vidigal, Carlos Austério, 37, afirmou que o medo, e o risco de morrer atropelado ao optar por transitar pela avenida é muito maior do que o de uma nova tragédia.

“Claro que nós temos medo, porém eu preciso chegar em casa. E, para ser bem sincero, prefiro passar pela ciclovia do que me arriscar no meio desse trânsito, com os ônibus fazendo o que bem entendem na avenida”, comentou Austério.

Uma representante da CGM que estava no local garantiu que está tudo bloqueado, e que, as pessoas costumam passar pela mureta que beira o local, se arriscando assim a cair de lá de cima.

Justiça determina liberação de trecho entre o Leblon e o Vidigal

Na tarde desta terça-feira (10), a Justiça do Rio revogou parcialmente a liminar que interditava toda a extensão da ciclovia Tim Maia, em São Conrado.

Na decisão, o juiz Marcelo Evaristo Martins da Silva, da Central de Assessoramento Fazendário do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro autorizou a liberação da circulação na ciclovia no trecho entre o número 318 da Avenida Niemeyer e a praia do Leblon. Os demais trechos da ciclovia continuam interditados.

A autorização do magistrado se deu baseada nos laudos apresentados pelos engenheiros Luis André Moreira Alves e Hélio Guedes de Brito Filho, que constataram a inexistência de risco de um novo desabamento no local.

Na última sexta-feira (6), o mesmo juiz havia decidido pela interdição total da ciclovia concedendo liminar baseada em uma ação popular que visa a impugnação dos contratos celebrados pela prefeitura do Rio com o Consórcio Contemat-Concrejato e a Concremat Engenharia e Tecnologia S/A para construção da ciclovia Tim Maia.

*Com informações da Agência Brasil