Prefeitura autoriza auxílio para vítimas de explosão em conjunto habitacional

Acidente em Coelho Neto no dia 5 foi provocado por vazamento em tubulação de gás

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, autorizou a concessão de Auxílio Habitacional Temporário e Ajuda de Custo Emergencial aos moradores afetados pela explosão ocorrida no último dia 05, no Conjunto Habitacional Fazenda Botafogo, em Coelho Neto, que resultou na interdição de 40 unidades. O decreto foi publicado nesta segunda-feira (11) no Diário Oficial do Município.

Com a listagem das famílias beneficiárias na publicação, o pagamento mensal em caráter extraordinário será de R$ 1 mil a cada uma pelo período em que ficarem impossibilitadas de acessar suas moradias, ficando limitado o recebimento a 12 meses, de acordo com o decreto.

A explosão, que completa uma semana, deixou cinco mortos. Moradores afirmaram que há pelo menos um ano sentiam um forte cheiro de gás no local, que fica no bairro Coelho Neto, às margens da Avenida Brasil. “Todo mundo que mora nessa rua e quem a frequenta já reclamava de um cheiro de gás forte. Era uma tragédia anunciada. Pena que eles não quiseram evitar”, disse Ari Nunes de Oliveira, tio de um dos moradores do conjunto que perdeu a filha de 13 anos e a esposa.

A explosão ocorreu por conta de um vazamento na tubulação de gás da CEG, a concessionária fornecedora de gás canalizado do Rio de Janeiro. “Ela [a CEG] não nos ouvia por descaso, apenas isso. Essa é a verdade", disse Oliveira.

De acordo com o subsecretário municipal de Defesa Civil, Marcio Motta, o prédio poderá voltar a ser habitado futuramente, já que a estrutura não foi abalada e não há risco de desabamento “Não existe essa possibilidade [de desabamento]. O que houve foi um rompimento do piso no pavilhão 1, que é o primeiro andar, e na laje do condomínio. Um dos pilares de sustentação também sofreu um leve abalo, mas nada que não possa ser restaurado e garantir a segurança das pessoas no futuro”, garantiu Marcio Motta.

O conjunto habitacional Fazenda Botafogo foi inaugurado no final da década de 70 e tem 86 prédios com 40 apartamentos cada. A estimativa é que morem 17 mil pessoas no conjunto.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais