Trabalhadores fazem greve em unidade dos Correios no Rio de Janeiro

Em greve há três dias, trabalhadores dos Correios fizeram nesta quarta-feira (9) uma manifestação em frente ao Centro de Distribuição Domiciliária (CDD) de Senador Camará, na Zona Oeste do Rio. Segundo a diretora regional do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos do Rio de Janeiro (Sintect-RJ), Débora Henrique, a paralisação é para chamar atenção para as condições precárias da unidade e a sobrecarga de trabalho diante do déficit de empregados.

Os trabalhadores reivindicam água potável, banheiros limpos e obras no prédio, que, de acordo com eles, está com problemas estruturais. Os trabalhadores mostraram ainda carros e motos sem condições de uso, acumulados no local, podendo resultar em focos de Aedes aegypt.

Pelos cálculos do sindicato, a paralisação teve adesão de 40 dos 60 empregados da unidade, que tem um déficit de 20 trabalhadores para  a operação. “Desde 2011 a empresa não faz concurso público e isso sobrecarrega demais quem está trabalhando. Um carteiro chega a fazer o trabalho de três”, disse Débora Henrique.

“Isso afeta diretamente a população, que espera receber as suas encomendas dentro do prazo. Muitas vezes, a pessoa vai para as filas dos postos de atendimento para tentar resgatar a sua mercadoria, que está dentro da unidade e o Correio não tem funcionário suficiente para entregar”, disse Débora.

A sindicalista destacou também a falta de segurança do local, onde tem ocorrido casos de assaltos aos carteiros. “São cerca de três assaltos por dia, ali. Quando o carteiro é assaltado, entra em licença e só volta quando estiver melhor, porque fica abalado psicologicamente. Aí, causa mais um déficit. A empresa diz que é um problema de segurança pública, mas, na verdade, acho que é um problema de todos”, acrescentou  a sindicalista

De acordo com os Correios, a paralisação é parcial e mais de 50% dos funcionários da unidade trabalharam normalmente nesta quarta-feira. A empresa informou, ainda, que houve uma reunião de seus representantes com empregados para tratar do retorno ao trabalho no CDD Senador Camará, o que a companhia espera que aconteça nesta quinta-feira (10). Segundo os Correios, entre as providências tomadas houve capina do terreno,  controle de pragas e um mutirão de limpeza no Complexo de Bangu, de onde a unidade faz parte. A empresa prometeu fazer obras nos banheiros, como reclamam os empregados.

A empresa explicou também que os carros estacionados no CDD,  não estão abandonados e aguardam a realização de leilões, que dependem de medidas determinadas pela legislação para a alienação de patrimônio. De acordo com os Correios, o processo envolve, ainda, a  avaliação dos veículos, contratação de leiloeiro e a realização do leilão.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais