Para apoiar Picciani, Pedro Paulo e filho de Cabral são exonerado de seus cargos

Eleição que decidirá o líder da bancada do PMDB está marcada para quarta-feira (10)

O braço direito de Eduardo Paes e secretário municipal de Governo, Pedro Paulo Teixeira, e o secretario estadual de Esporte e Lazer, Marco Antônio Cabral, foram exonerados para servirem de reforço a candidatura do deputado federal Leonardo Picciani, atual líder do PMDB na Câmara, à reeleição. Tanto Pedro Paulo, quanto Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, são deputados federais e estavam licenciados de seus ofícios na câmara para ocuparem seus cargos na prefeitura e no governo do estado, respectivamente. A eleição que irá eleger o novo líder do partido acontecerá na próxima quarta-feira (10).

A estratégia não é uma novidade, já que, em dezembro do último ano, os dois voltaram à Câmara para auxiliar a recondução de Picciani ao cargo. O líder havia sido destituído do cargo após não agradar a bancada com a lista dos nomes indicado para a comissão que iria analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Aliado ao governo, Picciani indicou nomes que seriam contrários à deposição de Dilma, irritando assim os deputados PMDBistas contrários ao governo da presidente.

A exoneração de Pedro Paulo foi publicada no Diário Oficial do município nesta segunda-feira. Já a saída de Cabral foi publicada na edição de sexta-feira (5) do Diário Oficial do estado. Para ocupar a vaga do secretário de governo de Eduardo Paes, foi nomeado Alexandre Serfiotis.