Operação da PF prende família do criminoso que chefiava tráfico em Santa Cruz

A Polícia Federal deflagrou, quinta-feira, a Operação Velgax para desarticular quadrilha que permanecia atuando no tráfico de armas, drogas e lavagem de dinheiro, mesmo com os seus líderes tendo sido presos pela PF há menos de dois meses. Foram cumpridos cinco mandados de prisão preventiva e cinco de busca e apreensão. Participam da ação 30 policiais federais. Houve ainda a prisão em flagrante de um homem portando uma pistola e a apreensão de dois veículos.

Em outubro último, a Polícia Federal e o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar – BOPE prenderam em Nova Iguaçu/RJ na Baixada Fluminense, os traficantes Cláudio Aurélio Conceição da Silva, conhecido como “Ben 10” e Leonardo Barbosa da Silva, o “Léo do Aço”. Com eles, foram apreendidos 04 fuzis. Na ocasião, “Ben 10” chefiava o tráfico na Favela do Rodo, repassada a ele por “Léo do Aço” que permanecia à frente da Favela de Antares. 

Dando continuidade à investigação, a Delegacia de Repressão a Crimes contra o Patrimônio da Polícia Federal (DELEPAT) concluiu que o traficante “Ben 10” se utilizava da sua família para lavar o dinheiro obtido com as atividades criminosas, principalmente adquirindo imóveis e bens. Hoje, foram presos a sua esposa, o seu cunhado e a sua sogra.

Apurou-se ainda que policiais militares receberiam propina para avisar aos traficantes da facção de “Leo do Aço” e “Ben 10” sobre operações do BOPE que poderiam acontecer na região. Essa informação foi encaminhada à PMERJ.  

“Ben 10” e “Léo do Aço”, que já estão presos no Presídio Bangu 3, também tiveram suas prisões preventivas decretadas.  Foram cumpridos, com apoio de agentes da Inteligência da SEAP, mandados de busca e apreensão em suas celas.

A PF ratifica que possui dados concretos sobre a participação de Cláudio Aurélio Conceição da Silva, “Ben 10”, na morte do casal cuja criança foi encontrada em um terminal do BRT em Santa Cruz e que, como é praxe entre os órgãos de segurança, tais informações serão repassadas à Polícia Civil hoje. 

Os presos responderão por lavagem de dinheiro e associação para o tráfico. As penas podem chegar a 20 anos de reclusão. O homem detido será encaminhado ao Presídio Ary Franco e as mulheres ao Presídio Nelson Hungria.

O nome da operação – VILGAX - faz referência ao apelido do maior inimigo de Ben 10, herói infantil dos desenhos animados.