Ações ecológicas ampliam repasse de ICMS Ecológico

Silva Jardim liderou mais uma vez o ranking do ICMS Ecológico 2015 – ano fiscal 2016 no Estado do Rio. A cidade das Baixadas Litorâneas é campeã no recebimento do repasse do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços. A Lei do ICMS Verde estabelece que as prefeituras invistam na preservação ambiental contem com o maior repasse.

"Silva Jardim tem se destacado todos estes anos porque possui um manancial hídrico (com reservatório que abastece a Região dos Lagos) e extensa cobertura vegetal, sendo estes preservados com o auxílio das Unidades de Conservação criadas. Possuímos tratamento de esgoto sanitário, terciário, através de redes separativas, e Estação de Tratamento - disse o secretário do Ambiente de Silva Jardim, Helan Cardozo.

Outras ações também colocaram a cidade na ‘vanguarda verde’ como a desativação do antigo lixão, que passou a destinar seus resíduos em aterro sanitário e está em fase de implementação do sistema de coleta seletiva, e a execução de estudos para o diagnóstico e projeto de remediação do antigo vazadouro de lixo.

Cachoeiras de Macacu, na Região Metropolitana, também trabalha para garantir a ampliação dos repasses anualmente. A cidade ocupou nos últimos três anos o segundo lugar no ranking estadual do ICMS Ecológico.

"A proposta do ICMS Verde traz benefícios à cidade. Temos trabalhado com afinco em áreas como as Unidades de Conservação, coleta seletiva solidária e extinção de lixão", afirmou o secretário de Ambiente de Cachoeiras de Macacu, Loir Gonçalves de Lima. 

Já Mesquita, na Baixada Fluminense, ficou em terceiro lugar pela segunda vez no índice final.- A proposta possibilita a inclusão produtiva dos catadores de materiais reutilizáveis, garante mais áreas verdes e consequentemente um maior conforto térmico para a cidade - explicou a diretora de Gestão Ambiental e Resíduos Sólidos, Marisa Beatriz Rocha.