Trabalhadores da Fiocruz decidem continuar em greve

Os trabalhadores da Fiocruz decidiram continuar em greve. A decisão de permanecer com as atividades paralisadas se deu após nova rodada de negociação com o governo nesta semana. Uma nova assembleia, para decidir o rumo do movimento, será convocada 24 horas após a próxima reunião com a Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do Ministério do Planejamento (MPOG), ainda sem data definida. 

A proposta de reajuste apresentada pelo governo é de 21,3%, parcelado em quatro anos. A categoria reivindica um índice de reposição de 27,3% em 2016, referente a perdas inflacionárias dos últimos anos. 

Além da política salarial permanente com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias, a categoria cobra do governo em sua pauta geral a data-base em 1º de maio; direito de negociação coletiva (convenção 151 OIT); paridade salarial entre ativos e aposentados; retirada dos projetos do Congresso Nacional que atacam os direitos dos servidores; aprovação imediata dos projetos de interesse dos trabalhadores; e isonomia salarial e de todos os benefícios entre os Poderes.