Onze casais participaram de cerimônia de casamento para policiais de UPPs

Ao som da marcha nupcial, Natashe Carvalho, de 25 anos, caminhou emocionada para a realização de um de seus grandes sonhos. Há cinco anos a jovem namora um soldado da UPP Santa Marta e a vontade de oficializar a união era grande, mas quando viu o valor para realizar o casamento, desistiu da ideia. A espera foi compensatória, os noivos estavam entre os 11 casais que oficializaram a união no casamento coletivo promovido pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

A cerimônia, realizada na Casa de Espanha, no Humaitá, foi idealizada pelas equipes de Comunicação Social das Unidades de Polícias Pacificadoras (UPPs) dos Tabajaras e Santa Marta, ambas na Zona Sul do Rio.

"A gente descobriu que nosso apartamento vai ficar pronto em novembro e como a gente ainda ia fazer uma obra nele, não ia ter como casar. Para casar depois que estivesse morando, eu achei que ia ser muito sem graça. Já tinha esquecido a ideia da festa, mas aí uma semana depois soubemos dessa história do casamento da UPP. No início ele não quis, mas depois pensou melhor e gostou da ideia", contou Natashe.

Maria da Glória Cabral mora com um soldado do Santa Marta há 13 anos e tem duas filhas, uma de 13 e a outra de apenas um ano. A ideia de casar partiu dele, que chegou em casa com a notícia.

"Aceitei na hora! Depois de 15 anos e duas filhas, não dei nem a chance para ele mudar de ideia (divertiu-se). Esperava casar oficialmente um dia, mas não imaginava que iria ter uma celebração como essa", disse Maria, que teve a filha mais velha como dama de honra.

A soldado Luciana Conrado, policial da UPP Tabajaras, vive há 10 anos com o companheiro. O casal, que já tem uma filha, sempre quis se casar, mas algumas responsabilidades e compromissos fizeram com que o desejo fosse adiado. "Quando soube do evento que estava sendo organizado, vi que tínhamos a chance de oficializar a nossa união. Perguntei se ele (marido) queria e ele aceitou. Sempre tive sonho de me casar, mas a oportunidade só apareceu agora".

O coordenador de Polícia Pacificadora, coronel Luís Cláudio Laviano, compareceu ao casamento e parabenizou os noivos. "Lembrem-se que hoje fizeram mais um juramento perante à Deus, às autoridades e seus familiares. Os votos de casamento não são apenas palavras bonitas, são palavras que concretizam a união do casal, nesta hora, os sentimentos ficam aflorados e o casal expressa e afirma o desejo de permanecer junto. A família é a célula mater do estado, família unida é sinônimo de estado forte. Casamento é para a eternidade, lhes desejo, saúde, paz, vida longa e fortuna", ressaltou o coronel.