Fotógrafo do 'JB' flagra infração de viaturas da CET-Rio 

Duas viaturas estavam estacionadas em cima da calçada na Avenida Paulo de Frontin, no Rio Comprido

Nesta quinta-feira (29), o fotógrafo do Jornal do Brasil fez um flagrante de dois carros da CET-Rio estacionados em cima da calçada na Avenida Paulo de Frontin, no Rio Comprido. Os veículos bloqueavam a passagem, e obrigavam os pedestres a desviarem pela rua, correndo risco de serem atropelados. Outra opção era desviar pela margem do córrego que passa no meio da via, podendo cair no buraco. 

A foto levantou a polêmica sobre a quem a lei atinge. A CET-Rio, teoricamente, seria a responsável por fazer o trânsito fluir na cidade, e não praticar atos de infração.

Os dois carros estavam estacionados, com as quatro rodas em cima da calçada, bloqueando totalmente a passagem dos pedestres que transitam pelo local. Aparentemente, a lei só é aplicada para os motoristas. Pelo jeito, os carros oficiais não seguem as mesmas leis. As pessoas foram obrigadas a alterar o seu caminho e desviar dos carros pela rua, aumentando assim o risco de um atropelamento.

O local é comumente usado por motoristas para parar seus veículos, porém o estacionamento é proibido, por se tratar de uma calçada, onde pedestres deveriam caminhar em segurança.

A doméstica, e moradora do bairro do Rio Comprido Kelen Gonçalves disse que passa pelo local diariamente e que isso sempre acontece.

“Eu passo por aqui todos os dias para poder chegar ao ponto de ônibus, essa calçada sempre fica repleta de carros estacionados. Mas, ver um carro que teoricamente deveria estar aqui multando os que fazem isso, e não fazendo igual, é de fato um absurdo”, criticou a moradora.

O especialista em transporte urbano e trânsito, professor da Uerj, Alexandre Rojas, lamentou o abuso de autoridade, ato comum em nosso país.

“A CET-Rio como órgão fiscalizador de trânsito deveria ser o primeiro a dar exemplo. Mas nós vivemos no Brasil, e aqui as autoridades sempre se acham acima das regras de trânsito. Isso infelizmente não é incomum de acontecer. Cabe ao poder Legislativo reforçar a atenção nas ações que poder Executivo vem fazendo”, lamentou o professor.

O ex-diretor do antigo Departamento de Trânsito do Rio de Janeiro, Celso Franco, lamentou o flagrante, mas lembrou que em casos de emergências, as viaturas podem parar em locais indevidos. Franco comentou também que a lei visa preservar os pedestres.

“A lei é clara, e proíbe o estacionamento de veículos sobre as calçadas, mas existem certos aspectos que precisam ser considerados. É uma questão de bom senso. No caso, são dois veículos oficiais em situação irregular, me parece um excesso para qualquer serviço que ali fosse necessário. A CET-Rio deveria dar o exemplo, pois este, ainda é a melhor maneira de ensinar”, comentou Celso Franco.

A reportagem do Jornal do Brasil entrou em contato com a CET-Rio que disse que os carros estavam realizando manutenções semafóricas, pois foi registrado um pico de energia no local. Ainda segundo a CET-Rio, as escadas posicionadas em cima dos veículos caracterizam que a viatura estava realizando a manutenção no local, e que eram dois carros pois cada um ficou responsável por corrigir a falha de cada lado da avenida.

*Do Programa de Estágio do JB