Rio de Paz pede amparo a famílias de crianças vítimas de balas perdidas

O Rio de Paz, filiado ao Departamento de Informação Pública da ONU, fará um novo ato para despertar a sociedade e o poder público para o fato de que a violência do Rio de Janeiro está matando crianças. Uma cruz de três metros será fincada, domingo (25), às 10h, na Praia de Copacabana, em frente à Avenida Princesa Isabel, com brinquedos de Larissa de Carvalho, de 4 anos, morta por bala perdida no sábado, dia 17, em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Além da cruz, será estendida uma faixa com os dizeres: "A violência do Rio está matando as nossas crianças" e cartazes com o nome e a data de falecimento de crianças mortas desde 2007.

Com o apoio da família da Larissa, que estará presente no ato, a ONG reivindica que o Estado ampare a família das vítimas e crie metas de redução para mortes por balas de perdidas.

Para Antônio Carlos da Costa, fundador do Rio de Paz, "é um absurdo vivermos em uma cidade onde a violência interrompe a vida de crianças inocentes, sem que haja amparo aos familiares e uma solução concreta".

LISTA DE CRIANÇAS MORTAS POR BALA PERDIDA NO RIO DE JANEIRO ENTRE 2007-2015

Alana: 12 anos. Morta no dia 5 de março de 2007 num tiroteio entre policiais e traficantes no morro dos Macacos, em Vila Isabel.

Fabiana: 11 anos. Morta dentro de casa, vítima de bala perdida, numa operação policial no Morro dos Telégrafos, no dia 15 de dezembro de 2007.

Ramon: 6 anos. Morto no dia 30 de junho de 2008, com um tiro na cabeça, enquanto aguardava o pai na porta de casa, num tiroteio entre policiais do 9º BPM e traficantes na favela do Muquiço, em Guadalupe.

João Roberto: 3 anos. Morto no dia 6 de julho de 2008, quando se encontrava no banco de trás do carro da mãe, que foi metralhado por policiais militares que perseguiam bandidos na Tijuca.

Wesley: 11 anos. Vítima de bala perdida, no dia 19 de julho de 2010, que o atingiu no peito dentro de sala de aula no CIEP Rubens Gomes, em Barros Filho. A operação foi comandada pelo 9º BPM.

Juan: 11 anos. Morto numa operação do 20º BPM (Mesquita) no dia 20 de junho de 2011 na Favela Danon, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

Juliana Rodrigues: 6 anos de idade. Morta em setembro de 2011, por uma bala perdida durante tiroteio entre policiais e criminosos no Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro.

Bruna: 10 anos. Morta durante uma operação policial no Morro da Quitandinha, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio.

Yasmin de Moura Camilo: 4 anos. No dia 19/08/12 brincava em um parquinho da comunidade Terra Nostra, em Costa Barros, quando foi atingida por uma bala perdida durante confronto entre policiais e supostos bandidos.

Adrielly dos Santos: 10 anos. Atingida na cabeça por uma bala perdida na noite de Natal (24/12/12), em Piedade, no Subúrbio do Rio, vindo a falecer na tarde do dia 4 de janeiro de 2013.

Lucas Farias Canuto: 13 anos. Estava na localidade conhecida como Reta dos Barracos, no Caratê, na Cidade de Deus, quando foi atingido no peito, por volta das 14h do dia 15/06/14. No momento, ocorria uma troca de tiros entre traficantes e policiais da UPP.

Luís Felipe Rangel Bento. 3 anos. Morto na manhã do dia 25/06/14, no Morro da Quitanda, em Costa Barros, na Zona Norte, vítima de uma bala perdida, enquanto dormia, numa troca de tiro entre traficantes e policias.

Larissa de Carvalho: 4 anos. Morta neste domingo, em Bangu.?

Asafe William Costa de Ibrahim: 9 anos. Morto após ser atingido por uma bala perdida em Honório Gurgel.