Polícia já tem pista do homem que matou professor belga na Lapa

A polícia Civil do Rio de Janeiro já tem pistas do homem que matou o professor de Literatura da Universidade Federal Fluminense (UFF), o belga Dominique Marie Philippe Genevieve, 56 anos, na noite desta terça-feira (2/12), na esquina da Rua dos Inválidos com Mem de Sá, no bairro da Lapa, Centro. O professor foi atingido por uma bala perdida disparada pelo homem não identificado contra Alexandre Augusto Silva, 33 anos, que corria com uma faca depois de ferir uma pessoa. A vítima segue internada no Hospital Municipal Souza Aguiar, também no Centro.

Um taxista que estava no local no momento do crime prestou depoimento na 5a. DP (Mem de Sá). Segundo a testemunha, Alexandre e um outro amigo identificado como Antônio Carlos, de 30 anos, jogavam no Bar Gingin, na Avenida Mem de Sá, quando se desentenderam e iniciaram uma briga. Alexandre deixou o local e retornou logo em seguida munido de uma faca para agredir o parceiro de jogo. Antônio tentou fugir, mas foi alcançado por Alexandre na calçada. Enquanto Alexandre esfaqueava a sua vítima, um homem parou próximo ao local em um carro preto e começou a atirar para o alto e depois contra o agressor. Um dos tiros atingiu Dominique Marie, que estava em um dos bares da Lapa.

Alexandre tentou fugir e chegou a invadir um prédio, mas foi preso por policiais militares. O professor belga chegou a ser socorrido por uma ambulância que passava pelo local, mas não resistiu ao ferimento e morreu no Hospital Souza Aguiar. De acordo com a perícia da PC, o tiro atingiu frontalmente o coração de Dominique. Antonio teve o pulmão perfurado pelas facadas.