Passageiros e taxistas criticam interdições na Avenida Rio Branco

Informações precárias e proibição de circulação desagradam usuários

A partir deste sábado (29), os cariocas terão que se acostumar com mais uma mudança no trânsito no Centro do Rio. Agora, três faixas da Avenida Rio Branco serão interditadas para obras do Veículo Leve sobre Trilhos. Com apenas duas faixas operando, os táxis estarão proibidos de circularem na rua. Os ônibus também terão seu itinerário alterado. Agora, apenas aqueles que seguem em direção ao Aterro do Flamengo continuarão passando pela via. Já os que seguiam no sentido Candelária, passarão a circular na Rua 1° de Março.

Durante a tarde de sexta-feira (28), agentes da Prefeitura distribuíam panfletos e davam orientações aos pedestres. Apesar de receber o panfleto explicativo, Raquel Batista continuava com dúvidas. “Eu sei que meu ônibus vai passar na 1° de Março, mas não sei o ponto. Achei confuso. Fica mudando toda hora. Antes eu pegava o ônibus na 1° de Março, aí veio para cá. Agora volta a ser lá”, falou, ressaltando que não sabia que as mudanças começariam neste sábado (29). Perguntada sobre o que faria na segunda-feira para saber em qual ponto poderia pegar seu ônibus, Raquel disse que iria “pedir informação para os agentes” porque, segundo ela, não compreendeu o que estava explicado no folheto.

Raquel não foi a única a ter dificuldades de entender o panfleto da Prefeitura. José Carlos dos Santos também não encontrou informações sobre sua linha de ônibus no guia distribuído para os passageiros. “Eu soube quinta-feira que ia mudar e fui informado que meu ônibus agora só passa na 1° de Março, mas não sei em qual ponto. Não consegui me localizar nesse panfleto, o jeito vai ser perguntar mesmo. Espero que seja no mesmo ponto que eu pegava ele antes da mudança, quando a Rio Branco só tinha um sentido. Acho até que vou perguntar para o motorista, espero que ele saiba me informar”, disse.

Fábio Borges soube da mudança na quarta-feira, através da imprensa. Apenas na sexta-feira ele recebeu o panfleto indicando o novo itinerário da sua linha. “Achei que a divulgação da informação foi deficitária. Os agentes não sabem informar direito, fica confuso. Me disseram [agentes] que meu ônibus vai passar em frente ao Fórum, mas não sei se é. Pelo panfleto eu não entendi. Se eu chegar lá, na segunda-feira, e não for, vou ter que ficar andando por aí atrás do meu ônibus”, contou ao Jornal do Brasil. “Com essa obra eles estão querendo ressuscitar o bonde, né? Mas, em termos de trânsito, a superfície já está saturada. Eles precisam investir em metrô porque o serviço ainda deixa a desejar”, acrescentou.

Quem não aprovou a mudança foram os taxistas que, agora, não podem mais circular pela avenida. Frederico Augusto trabalha no ponto do Aeroporto Santos Dumont. Ele soube da notícia na quinta-feira. “A Prefeitura entregou panfletos lá no ponto. Específicos para nós, taxistas. Achei a divulgação muito confusa, em cima da hora. Mas nem é isso que mais preocupa. Vai ficar muito pior. O trânsito do Rio já não está bom. Com mais uma mudança, não sei como vai ser”, disse.

Marcelo Oliveira também é taxista e não aprovou a mudança anunciada pela Prefeitura. “Estão dizendo que o táxi não pode mais andar na Rio Branco. Eu acho errado porque vai parar o trânsito no Centro todo. Quero ver o resultado certo na segunda-feira. Não posso pensar em criticar agora, mas não concordo em proibir táxi na Rio Branco. A tendência é piorar o que já não está bom. Eu soube dessa mudança há uns meses, eu acho. Mas com relação à proibição de circulação dos táxis, fiquei sabendo há pouco tempo. Soube pela imprensa e pelos comentários. Hoje que eu recebi o papel”, contou. 

* Do Programa de Estágio do Jornal do Brasil