Trânsito caótico: mais um dia de "inferno de paz" debaixo de chuva

Nem um dia de trégua. Desde a segunda-feira (1/9) o trabalhador no Rio de Janeiro enfrenta um trânsito caótico nos principais acessos ao Centro da cidade. O carioca teve o seu tempo de deslocamento para o trabalho triplicado, com os intermináveis congestionamentos e obstruções de vias principais para obras do governo municipal. Nesta quinta-feira (4), a visita do governador e candidato à reeleição pelo PMDB Luiz Fernando Pezão, parou o trânsito na Taquara, Jacarepaguá, na Zona Oeste, por volta das 10h. A chuva que caiu na parte da manhã também complicou o tráfego em diversos bairros e nas vias expressas.

O trânsito na Grajaú-Jacarepaguá, sentido Grajaú, era intenso durante toda a manhã, com vários pontos de retenção. No sentido Centro da Avenida Teodoro da Silva, em Vila Isabel, na Zona Norte, os motoristas enfrentaram longos engarrafamentos. Ainda em Vila Isabel, um coletivo e um carro bateram na Rua Visconde de Santa Isabel. 

Na Zona Oeste, uma moto e um carro colidiram na Avenida das Américas. Por volta das 10h, uma faixa estava bloqueada no sentido Alvorada, na altura da Estrada do Pontal. O trânsito ficou engarrafado no local, segundo boletim do Centro de Operações Rio. 

Em uma das principais vias de acesso ao Centro pela Avenida Brasil, a Avenida Francisco Bicalho, o trânsito permaneceu muito complicado durante a maior parte da manhã, por causa de uma colisão entre um carro e um ônibus, na pista central da via, na altura da Linha Férrea. Uma faixa foi bloqueada no sentido Cidade Nova, causando um congestionamento que teve reflexo até na Avenida Brasil. 

O motorista que chegava à Zona Portuária da Zona Norte, Oeste e Baixada Fluminense pela Avenida Brasil teve que ter muita paciência. O tempo de deslocamento entre o Caju e a Rodoviária Novo Rio era de quase uma hora, por volta das 9h. Mas cedo, um carro e uma moto bateram na pista lateral da via expressa, na altura do Caju, interditando uma faixa no sentido Zona Oeste. 

Outros trechos da Avenida Brasil apresentaram fluxo intenso e com retenções durante a manhã desta quinta (4). No sentido Centro, na altura de Paradas de Lucas até a entrada para Duque de Caxias, mais a frente, de Ramos até a entrada da Ilha e de São Cristóvão até a Zona Portuária foram os pontos mais críticos. 

Semana e o efeito "inferno de paz"

Nesta quarta-feira (3) uma ventania que atingiu a cidade nas primeiras horas da manhã, provocou queda de árvores em diversos bairros. A tempestade agravou a rotina de congestionamentos, provocando sérios transtornos no tráfego, especialmente na Avenida Brasil, principal via expressa de acesso ao Centro, na via Binário, na Zona Portuária, e nas vias do Centro. 

Mesmo na parte da tarde o motorista perdia muito tempo para se deslocar na cidade. Por volta das 12h30, vários trechos na Avenida Brasil apresentavam congestionamentos, no sentido Centro. O trânsito entre Ramos e a Rodoviária Novo Rio, na Zona Portuária, praticamente parou e os motoristas levavam cerca de duas horas para percorrer o trajeto de 8 km.

Na Avenida Brasil, nas proximidades da Rodoviária Novo Rio, passageiros desciam dos ônibus e caminhavam pela lateral da pista em direção ao terminal. Usuários do Bilhete Único - que isenta o passageiro de pagar a segunda passagem no prazo de três horas -, reclamavam do caos no trânsito, pois muitos perderam o benefício após exceder o tempo de utilização do cartão. Nos últimos dias, as ruas da cidade registravam tráfego pesado, o que se transformou numa triste e estressante rotina para o carioca.

>> O inferno de paz: ventania agrava congestionamentos no Rio

>> Você enfrenta engarrafamento diariamente? Envie sua foto para o 'Jornal do Brasil'

>>  inferno de paz

>> Mudanças no trânsito no entorno da rodoviária deixa usuários confusos