Linha 4 do Metrô participa do Dia para Prevenção de Risco de Desastres

Colaboradores da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca - Ipanema) participaram na manhã desta sexta-feira (29/11) de um treinamento de prevenção de acidentes, como parte do Dia Estadual para Prevenção de Risco de Desastres. Às 10h, soou a sirene no túnel subterrâneo ao lado da Estação General Osório, onde o Consórcio Linha 4 Sul realiza os testes finais para que o Tunnel Boring Machine, o 'Tatuzão', entre em operação, escavando os túneis da Linha 4 entre Ipanema e a Gávea.

Os operários, que não sabiam que o treinamento ia ocorrer, agiram de maneira correta: reconheceram a sirene de acidente, saíram do túnel com a velocidade desejada - nem muito rápido, o que pode causar pânico, nem devagar, o que atrasaria a desocupação - e se reuniram no ponto de encontro combinado previamente, em outros simulados. Do momento em que a sirene tocou até a prefeitura do canteiro ser informada pelos técnicos de segurança de que o túnel estava totalmente vazio, passaram-se apenas 13 minutos, tempo considerado bom pelo Corpo de Bombeiros, que também participou do treinamento.

"Este foi um treinamento completo, com a saída total de pessoas do túnel e a simulação de chamada dos bombeiros. Ocorreu da melhor forma possível. Fazemos treinos de procedimentos de segurança pelo menos uma vez por mês, mas este é ainda mais especial, porque é um procedimento completo e foi realizado no Dia Estadual para Prevenção de Risco de Desastres, iniciativa da Secretaria de Estado de Defesa Civil, parceira no trabalho de evitar acidentes. Trabalhamos duro para que não haja acidente mas, caso ocorra, estamos preparados", afirmou Adilson Britto, coordenador de riscos do Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras da Linha 4 do Metrô entre Ipanema e Gávea.

A parceria entre a  Concessionária Rio Barra, responsável pela implantação da Linha 4 do Metrô, e a Secretaria de Estado de Defesa Civil começou em maio de 2013. Pela primeira vez, no Rio de Janeiro, bombeiros fardados realizam um trabalho de apoio preventivo em uma obra. A permanência dos bombeiros nos canteiros permite a avaliação prévia de canteiros, com elaboração de planejamento operacional específico para toda a área do entorno. Com isso, em situações de ocorrência, há uma estrutura preventiva a ser usada no primeiro socorro até que uma equipe do grupamento mais próximo seja deslocada.

Desta forma, é possível agilizar o trabalho de combate, reduzir o tempo de resposta e contribuir para a qualidade de atendimento.

"Com o treinamento de hoje, conseguimos avaliar não só a Linha 4, mas também o nosso procedimento: onde é mais indicado posicionar as ambulâncias, a iluminação do local, a área do ponto de encontro. É realmente um trabalho em conjunto", disse o capitão Guilherme do Corpo de Bombeiros.

Para o ajudante de eletricista Reinaldo Fernandes, o treinamento é de muita valia. "Se acontecer alguma coisa, sabemos o que fazer, para onde ir em segurança", disse. O operador de ponte rolante Anderson Santos conta que, de início, assustou-se um pouco com a sirene, que tocou em modo contínuo, diferenciando-se da sirene de detonação. "Mas vi que todo mundo estava atento às instruções do técnico de segurança dentro do túnel e saímos com calma".

Mais de 300 mil pessoas vão usar a Linha 4 do Metrô todos os dias

A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro vai transportar, a partir de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Com a nova linha, o passageiro poderá utilizar todo o sistema metroviário da cidade com uma única tarifa.

Serão seis estações (Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Antero de Quental, Jardim de Alah e Nossa Senhora da Paz) e aproximadamente 16 quilômetros de extensão. A Linha 4 do Metrô entra em operação no primeiro semestre de 2016, após passar por uma fase de testes.