Prefeito do Rio marca reunião com professores para tentar por fim à greve

Decisão foi anunciada após encontro entre Paes e conselhos de diretores de escolas e de pais

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, marcou para a próxima terça-feira (8/10) uma reunião com representantes dos conselhos de funcionários e de professores, para tentar por fim à greve do magistério municipal, iniciada em 8 de agosto. A decisão foi anunciada neste sábado, após encontro entre Paes e integrantes dos conselhos de diretores de escolas e de pais de alunos, realizado no Palácio da Cidade, em Botafogo, zona sul da cidade. Os professores rejeitaram ontem, em assembleia geral, voltar às aulas, após aprovação do novo Plano de Cargos e Salários votado no ultimo dia 1º pela Câmara de Vereadores.

“Convidei o conselho de pais e de diretores para entender de que maneira podemos avançar neste processo. É importante ouvir o que estão pensando. O esforço nós estamos fazendo. Votamos um Plano de Cargos e Salários que aumenta a remuneração este ano, equipara o salário dos professores, que reconhece todas as carreiras e o direito de aposentados e pensionistas. Vamos ficar dialogando”, disse Paes.

O prefeito rebateu a crítica de intransigente feita pelos grevistas, que sofreram com a violência policial no dia da votação do projeto, atingidos por balas de borracha e bombas de gás. “Quem senta dez vezes, faz três acordos assinados, com 23 pontos, por si só não é intransigência. A principal razão para a gente ter mandado o projeto e votado logo foi para atender solicitação do Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino (Sepe). No primeiro acordo ficou acertado que o projeto seria elaborado em 30 dias e encaminhado com urgência à Câmara de Vereadores. Eu atendi a um pedido do Sepe”, explicou.

Na segunda-feira à tarde, professores e manifestantes convocam um protesto no centro do Rio, batizado de "Um milhão pela educação", com concentração na Igreja da Candelária, seguindo até a Cinelândia, em frente à Câmara Municipal.