RJ: operação cumpre 52 mandados contra fiscais da Vigilância Sanitária

A Polícia Civil, o Ministério Público e a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro realizam na manhã desta quinta-feira a Operação Parasitas, para cumprir 30 mandados de prisão contra fiscais da Vigilância Sanitária que cometem, desde 2010, extorsão contra comerciantes e profissionais de diversos gêneros para não aplicar multas desnecessárias ou não combater irregularidades. Foram expedidos 52 mandados de busca e apreensão.

As investigações foram iniciadas há dois anos após denúncia da Secretaria Municipal de Saúde. A quadrilha formada por funcionários públicos da Vigilância Sanitária Municipal chegava a movimentar cerca de R$ 500 mil por mês. Dos 30 mandados de prisão expedidos, 28 são contra funcionários públicos acusados de formar um grupo criminoso para se aproveitar da estrutura do Estado e assim obter vantagens indevidas extorquindo bares, restaurantes, empresas de projetos arquitetônicos, clínicas, farmácias e outros tipos de estabelecimentos comerciais. 

A quadrilha instituiu uma taxa que deveria ser paga pelos empresários. Caso contrário, eram aplicadas multas e punições. Dois mandados de prisão foram expedidos contra um empresário, dono de uma empresa de dedetização e um arquiteto. Os dois atuavam em conjunto com a quadrilha que oferecia o serviço dos dois comparsas, além da propina, para liberação de laudos e comprovantes de regularização. Os indiciados foram autuados pelos crimes de formação de quadrilha, concussão, peculato e concurso material.