PMs acusados de forjar flagrante são afastados do policiamento dos protestos

Os dois policiais militares envolvidos em um suposto flagrante forjado contra um jovem durante um protesto de professores da rede municipal do Rio na terça-feira foram afastados pela PM do policiamento das manifestações. Na tarde desta quinta-feira, eles prestaram depoimento na 5ª Delegacia de Polícia (Mem de Sá) para esclarecer o ocorrido.

No vídeo, divulgado pelo jornal O Globo, é possível ver um PM recolhendo um morteiro no chão e, em seguida, abordando alguns jovens. Na sequência, o policial deu voz de prisão a um rapaz que estava com uma mochila sob a acusação de portar o morteiro.

Ontem, a Polícia Militar do Rio de Janeiro divulgou duas notas sobre o caso. Uma rechaçando a acusação e alegando que o adolescente teria sido abordado por "conduta atípica" e outra confirmando que abriu sindicância para analisar as imagens.

Os professores protestavam contra a aprovação do novo plano de cargos e salários da categoria, aprovado em regime de urgência pela maioria dos vereadores e já sancionado pelo prefeito Eduardo Paes.