Passeata de servidores da saúde é impedida de chegar ao Palácio Guanabara

Servidores da saúde do estado fizeram uma passeata na tarde de hoje (2), reivindicando melhores condições de trabalho e salário. O grupo saiu do Largo do Machado, no Catete, em direção ao Palácio Guanabara, no bairro de Laranjeiras, na zona sul da capital fluminense, mas foi impedido de chegar à sede do governo estadual.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Trabalho e Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Sindsprev-RJ), a intenção dos manifestantes era fazer um ato em frente ao Palácio Guanabara, mas a Polícia Militar (PM) fez um cordão de isolamento, impedindo que a passeata chegasse ao local.

De acordo com o Centro de Operações da Prefeitura (COP), o Viaduto Engenheiro Noronha, que liga o Túnel Santa Bárbara à Rua Pinheiro Machado, onde fica o palácio, ficou bloqueado nos dois sentidos durante a manifestação. O mesmo ocorreu com o Viaduto Santiago Dantas, na Praia de Botafogo.

Após o ato, a diretora do sindicato, Denise Nascimento, foi recebida pelo chefe de gabinete da Casa Civil, Arthur Bastos, que garantiu passar a pauta de reivindicações ao secretário de Saúde do Estado, Sérgio Côrtes.

"Queríamos poder falar diretamente com o secretário, sem intermediários. A princípio, não queremos a paralisação do setor, apenas abrir um canal de diálogo para negociar as reivindicações, mas o secretário não se reúne com a categoria. Descobrimos que existe um processo na Justiça para um novo plano de carreira, mas até agora a rede não disponibilizou os dados para analisarmos", explicou Denise.

A secretaria informou, por meio de nota, que, no momento, há dois processos internos em tramitação sobre o plano de carreira e equiparação salarial dos servidores estaduais. Ambos passam por análise de viabilidade e todo o planejamento passará ainda pela aprovação da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão.

Na nota, a secretaria ressalta ainda que vem ouvindo as reivindicações da classe, que já teve seus representantes recebidos três vezes no último mês pelos subsecretários de Gestão do Trabalho e Executiva, Marcelo Pessoa, e Jurídico, Pedro Henrique di Masi.