Após declaração polêmica, Beltrame pede desculpas a policiais

Secretário de Segurança afirmou querer delegados e inspetores "sem vícios de corrupção e guerra"

A festa de inauguração da Cidade da Polícia, complexo de 67 mil m² de área que vai abrigar a partir de agora grande parte da polícia técnica do Rio de Janeiro, virou palco para um grande pedido de desculpas feito pelo secretário de Segurança do Estado, José Mariano Beltrame, aos cerca de 500 policiais civis que lotaram o auditório na manhã deste domingo. “Deixo aqui meu pedido de desculpas, minha retratação por algo que disse e acho que depois de quase sete anos à frente do comando, posso me equivocar”, disse Beltrame, aplaudido de pé.

Os problemas de Beltrame com os policiais civis começaram após uma entrevista em 15 de setembro, no jornal O Globo. O secretário disse que incluiria delegacias nas Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs) apenas com delegados e inspetores recém formados, e "sem vícios de corrupção e guerra". A declaração soou mal entre os policiais civis e o sindicato da categoria, que chegou a ameaçar interpelar o secretário pela generalização em nota oficial no último dia 19. 

Nervoso e com discurso escrito, Beltrame ressaltou, a todo o momento, o trabalho feito pela Polícia Cvil e usou números para afirmar que pretende melhorar o investimento feito pelo governo nas polícias. “De 2007 para 2013 passamos o orçamento da segurança de R$ 2 bilhões para R$ 7 bilhões”, disse, antes de se desculpar. Em alguns momentos, ficou clara a tensão entre Beltrame e os policiais.

Enquanto a delegada Martha Rocha, chefe da Polícia Civil, foi recebida com um auditório de pé, poucos convidados aplaudiram o anúncio da entrada de Beltrame no palco principal. Alguns delegados que discursaram evitaram dizer o nome do secretário ao saudarem as autoridades presentes. Durante a visita do governador Sérgio Cabral aos prédios da Cidade da Polícia, Beltrame praticamente não o acompanhou, para evitar atritos.

Alguns policiais ameaçaram protestar contra Beltrame usando uma camiseta  escrita “Eu passei em concurso público”, mas o protesto foi contido por lideranças. Beltrame terminou agradecendo aos policiais pela compreensão e dizendo que o tempo todo pretende ser transparente em sua gestão. “Esse sempre foi minha intenção”, ressaltou.

O secretário é o idealizador da Cidade da Polícia, que vai abrigar 13 delegacias especializadas e mais a Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). O investimento total foi de R$ 170 milhões e o local conta com um stand de tiros com tecnologia utilizada pelo FBI, a polícia federal americana,, além de um ambiente cenográfico para treinamento de policiais com simulação de quartos, casas e um ambiente de vielas e becos de favelas.