Hildegard Angel quer esclarecimentos da morte do irmão

Stuart Angel teria morrido na Base Aérea do Galeão

O surgimento de mais um possível responsável pela morte do estudante Stuart Angel Jones na década de 70, conforme informações que circularam esta semana, causou revolta em sua irmã, a jornalista Hildegard, Angel, que cobra da Comissão da Verdade ações para esclarecer essa violência. “Temos que aproveitar esse momento de transparência que o Brasil vive e esclarecermos esses casos. Acho que a Comissão da Verdade tem que apurar todos esses pontos obscuros sobre a morte de Stuart Angel e identificar os responsáveis pela violência que ele sofreu que culminou em sua morte”, afirmou ela.

Hildegard Angel ressalta que testemunhas, ex-presos políticos, já declararam que estavam presentes no momento da morte de Stuart e a Comissão já reconheceu a morte dele. “Além dessas duas testemunhas, tem ainda um militar que já testemunhou. A Comissão deveria dar atenção a esses fatos” , cobrou Hildegard.

O Centro de Informações e Segurança da Aeronáutica (Cisa), na Base Aérea do Galeão, lembra Hildegard, funcionou como centro de tortura nos anos 70 e foi lá que seu irmão foi visto pela última vez. De acordo com as testemunhas, Stuart Angel Jones foi retirado do local já morto e seu corpo nunca foi localizado. “O pessoal do Cisa atirava os corpos dos presos políticos no mar. Eles embarcavam num avião rumo ao mar e em determinada distância do continente jogavam os corpos no mar”, afirma Hildegard.

A Comissão, afirma ela, tem que apurar também a violência que o Cisa praticava fora da Base do Galeão. “Eles tinham armas, agentes, soldados e os estudantes tinham apenas livros e ideologias e são justamente os estudantes que são chamados de terroristas? Terroristas são eles! Eles tem que dizer onde está o corpo do meu irmão”, disse ela completando que a memória do Cisa até hoje lhe causa horror.

Hildegard Angel cobra também a apuração da morte de sua mãe, a estilista Zuzu Angel, que morreu de forma misteriosa num acidente no túnel que liga a Gávea à São Conrado e que hoje leva seu nome. “É preciso apurar também a morte da minha mãe. No livro de Claudio Guerra há menção aos supostos assassinos. Por que a Comissão não aproveita essa dica e esclarece quem matou Zuzu Angel?